Follow by Email

quinta-feira, 6 de dezembro de 2012

COLETÂNEA CONHECENDO OXUM - SINCRETISMO EM CUBA

Terminando esta nova SÉRIE SINCRETISMO RELIGIOSO, voltado à ORIXÁ OXUM. Vamos abordar toda a realidade deste mesmo SINCRETISMO, na religiosidade da SANTERIA em Cuba.

Desta forma, até conhecer um pouco mais a história de NOSSA SENHORA DA CARIDADE DO COBRE, que muitos sequer conhecem.

Nossa Senhora da Caridade do Cobre


A história da colonização cubana conta que em 1509, um certo soldado espanhol estava muito doente e foi levado do oeste da Ilha para ser tratado pelos curandeiros da tribo indígena da região da Macaca. Ele sarou, mas o tratamento foi lento. O soldado, durante a recuperação, aprendeu a língua dos nativos e lhes ensinou o Evangelho de Cristo. Depois, estimulou os índios a erguerem uma pequena igreja para as preces comunitárias. No altar eles colocaram o crucifixo e o "santinho" com a imagem da Virgem Maria, que o soldado lhes dera. Com o tempo ao redor desta capela surgiu uma nova vila, atual El Cobre. 

No início do século XVII, quer a antiga tradição, que Nossa Senhora tenha manifestado um especial sinal à estes queridos filhos, permitindo que três humildes pescadores encontrassem sua imagem flutuando nas águas agitadas do alto mar do Caribe os dois irmãos índios João e Rodrigo de Hoyos, mais o escravo João Moreno, um menino de dez anos de idade avistaram algo no meio das águas. Após confundir com uma gaivota morta, com alegria recolheram a estátua de Nossa Senhora com o Menino em seus braços, que trazia sob os pés uma plaqueta com os dizeres: "Eu sou a Virgem da Caridade". 

Desde a aparição da imagem uma grande devoção se propagou por toda Ilha de Cuba. O povo preferiu que a Virgem fosse venerada no antigo Templo Paroquial do Cobre, aquele construído pelos índios e o soldado espanhol. A pedido dos veteranos da Guerra da Independência, Nossa Senhora da Caridade do Cobre, como era invocada pelos devotos, foi declarada Padroeira de Cuba, pelo Papa Bento XV, cuja festa fixou em 08 de setembro, data em que foi encontrada no mar. 

Porém, a partir de 1960 o regime comunista de exceção proibiu as procissões e outras manifestações públicas de fé. Isto só fez aumentar esta devoção, que se propagou com as famílias cubanas exiladas. Em 1977, contrariando esta política, o Papa Paulo VI elevou o Santuário Nacional de Nossa Senhora da Caridade do Cobre à categoria de Basílica. 

O Papa João Paulo II, anunciou sua visita apostólica à ilha de Cuba em 1997. Após a histórica visita do Sumo Pontífice a Cuba, o governo revogou a antiga proibição dos cultos públicos e procissões em todo o país.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Gostou desta postagem? Deixe aqui seu comentário, sugestão, critica a fim de melhorar nossos serviços.