Follow by Email

terça-feira, 21 de fevereiro de 2012

LEMBRANDO DE NOSSOS TEMPOS DE CRIANÇAS

Bom dia amados (as).

Logo cedo fui movido a vir aqui no Blog e meditar num assunto que muitas vezes pela correria do nosso dia-a-dia nos esquecemos de relembrar. Lembrar de algo que já se passou na nossa vida seja bom ou ruim é sempre uma forma de buscar um acerto, o nascimento de uma qualidade ou até mesmo uma virtude. Até mesmo um defeito ou lembranças, que nos fazem as vezes chorar.



Baseado no sonho que tive esta noite dos meus tempos de moleque. Mas é como já disse nada vem ao acaso e nada é coincidência, tudo é providência. E de tudo mesmo que situações ruins como a de ontem temos de tirar sempre coisas boas. 

No sonho fui levado ao meu tempo de menino onde sempre queria ter um amigo de verdade, seja homem ou fosse mulher. Meus tempos que era humilhado na escola por causa da minha educação. Dos dias em que mamãe ia me buscar ou levar na escola, com os meus visinhos que comigo estudavam fazendo revezamento das mães, que cada dia, uma levava a gente.



Dos dias em que subia no pé de abacate pertinho de casa com meus primos Antonio, Daniel, Claudia, Cecília e Sandra. Do dia em que Antonio deu com o martelo na cabeça de Sandra, que situação foi aquele dia. Do dia em que joguei Claudia num Riacho literalmente podre, pertinho de casa, onde ela saiu daquela água toda enlameada.


Sonhar com meu primeiro cachorro. Sonhar tudo num mesmo sonho do dia em que sofri o acidente de carro, em que tive os ligamentos dos joelhos rompidos. Sonhar com o sorriso do meu falecido pai e com o abraço caloroso de minha falecida mãe. Sonhar com o dia que apanhei feio na escola e depois de algum tempo descontei a surra que levei com outra em porção maior no moleque que tinha me batido.
Uma verdadeira viajem astral, e tem gente que não acredita nisso. Mas eu acredito. Sonhar com os dias em que ficava debaixo do pé de maracujá que minha mãe tinha atras de casa, numa pequena horta que ajudei a plantar e ficar ali horas chorando pedindo a Deus que me livrasse de minha homossexualidade pois sabia que nunca seria fácil.



Mas nunca esqueço do dia em que pedi a Ele que se fosse para ser do jeito que eu era, que ele colocasse um cara maneiro na minha vida, não precisava ser bonito, mas que me amasse pelo que eu fosse ou viria a ser quando viesse a ser adulto. Alguém que trabalhasse, que fosse de fé, uma pessoa honesta, verdadeira, sincera e que pudesse demonstrar em gestos pequenos a sua porção de amor por mim.


Sonhar com o dia em que ganhei meu primeiro ramo de flores de um amigo, hoje já falecido, que gostava muito de mim e que por vaidade ou arrogância minha nunca dei uma oportunidade dele estar comigo. Sonhar em contrapartida no mesmo sonho meus desejos que eu sempre quis que fossem realizados e os que ainda não foram.

Sonhar com minha falecida mãe de Santo, e que alegria vê-la no sonho. E olha que nunca havia sonhado com ela. Quando ela nos dava lição de Rumbê, todos sentados à sua volta. Ela num pequeno apoti, e todos os seus filhos: abiãns, yawôs, ebgomis, ogãns todos sentados escutando calados suas histórias, seus ensinamentos. Todos sentados a sua volta, no chão como crianças. Que tempo gostoso era aquele.


Mas hoje temos medo de sonhar. Temos medo de voltar ao passado e relembrar de tudo que desejamos pra nós. Lembrar do que buscavamos ser quando crescesse como toda criança responde ao perguntarmos: O que vc quer ser quando crescer? Minha resposta era sempre a mesma. Quero ser veterinário, ter uma fazenda e poder ter todos os animais. Um lugar para plantar minhas plantinhas e poder mecher na terra... E que hironia amo animais de coração. Mas vim a ser um Psicólogo, que fez mestrado em Recursos Humanos e depois doutorado em Administração de Empresas.


Para pagar meu curso, fiz com minha mãe começei a lidar com cabelos, fiz meu curso de cabeleireiro no empurrão do meu amigo Edson, que na epoca me deu de presente o curso e o material todo que precisaria. E hoje sou um cabeleireiro que não vou dizer super bem sucedido, mas graças a Deus tenho meu sustento, meu trabalho digno, honesto, verdadeiro.

Mas nada na minha vida foi fácil. Os meus sonhos, o mundo que buscava pra mim nada se concretizou pois de tudo já vivi na vida. Apanhar de namorado por ciumes de um primo meu e acabar no hospital com hemorrágia interna no intestino ( um fato que hoje se alguem pergunta: principalmente quem foi estuprado como atendo pessoas nessa situação - e olha que naõ sei como mas esses casos sempre vem do nada parar na minha mão).

Hoje os sonhos de ter amigos em criança se tornaram em ver pessoas sentadas nas cadeiras dos meus salões e que por ventura se tornaram meus clientes em busca de um corte novo ou uma mudança radical. Coisa que hoje só assino os cortes, pois colorações, reflexos e outros serviços eu deixo meus auxiliares fazerem por mim. E é muito  bom ver cada um deles sentar e dizer: Pedro, hoje eu vim conversar com vc enquanto vc meche no meu cabelo e do nada ver na medida da conversa prosseguir os seus olhos verterem aguas incontroláveis de fatos ou magoas atuais ou do passado. Ver cada uma delas sair da minha cadeira com o rosto melhor e sorridente e poder dizer: Pedro obrigado por ter me escutado.


Sei que sou um cara sempre de cabeça erguida, que não abaixa a guarda. Talvez por coisas do passado sinta ainda a necessidade de ter sempre uma armadura vestida, uma espada empenhada e um escudo nas mãos para me defender... sou chato, exigente, rabujento. Nossa se alguem grita comigo seja o que for..meu Deus eu viro um bicho incontrolável. Mas no fundo no fundo, com todo meu jeito maduro de ser, marrento as vezes, mas sempre amigo e em busca de ajudar em tudo naquilo que posso ou que esteja a meu alcançe. Sou uma pessoa que é meiga (que sorri com os lábios sim, mas no fundo, chora com o coração), forte, sorridente, as vezes meu palhaço, as vezes sério.


Como é bom lembrar dos tempos de infância, de tranformação, das lutas, das batalhas e principalmente das vitórias. Será que vc consegue fazer isso na correria de seu dia-a-dia? Tente é muito bom!!! Como é bom poder terminar um dia, ascender uma vela para seu anjo da guarda e para seu Orixá, com o pensamento em Deus e poder agradecer por tudo que nos aconteceu. É gente hoje, acordei assim. Mas sei que de alguma forma esta postagem pode de alguma forma ajudar vc a pensar no seu dia e saber que até os Orixás um dia foram crianças com sonhos, virtudes e defeitos.

FALANDO SOBRE SONHOS


Sonho

O sonho é uma experiência que possui significados distintos se for ampliado um debate que envolva religião, ciência e cultura. Para a ciência, é uma experiência de imaginação do inconsciente durante nosso período de sono. Recentemente, descobriu-se que até os bebês no útero têm sono REM (movimentos rápidos dos olhos) e sonham, mas não se sabe com o quê. Em diversas tradições culturais e religiosas, o sonho aparece revestido de poderes premonitórios ou até mesmo de uma expansão da consciência.

Sonho e Freud



Foi em 1900, com a publicação de A Interpretação dos Sonhos, que Sigmund Freud (1856-1939) deu um caráter científico à matéria. Naquele polêmico livro, Freud aproveita o que já havia sido publicado anteriormente e faz investidas completamente novas, definindo o conteúdo do sonho, geralmente como a “realização de um desejo”. Para o pai da psicanálise, no enredo onírico há o sentido manifesto (a fachada) e o sentido latente (o significado), este último realmente importante. A fachada seria um despiste do superego (o censor da psique, que escolhe o que se torna consciente ou não dos conteúdos inconscientes), enquanto o sentido latente, por meio da interpretação simbólica, revelaria o desejo do sonhador por trás dos aparentes absurdos da narrativa.

Sonho e Jung


O psiquiatra suíço Carl Gustav Jung, baseado na observação de seus pacientes e em experiências próprias, tornou mais abrangente o papel dos sonhos, que não seriam apenas reveladores de desejos ocultos, mas sim, uma ferramenta da psique que busca o equilíbrio por meio da compensação. Ou seja, alguém masculinizado pode sonhar com figuras femininas que tentam demonstrar ao sonhador a necessidade de uma mudança de atitude.


Na busca pelo equilíbrio, personagens arquetípicas interagem nos sonhos em um conflito que buscam levar ao consciente conteúdos do inconsciente. Entre essas personagens, estão a anima (força feminina na psique dos homens), o animus (força masculina na psique das mulheres) e a sombra (força que se alimenta dos aspectos não aceitos de nossa personalidade). 


Esta última, nos sonhos, são os vilões. Um aspecto muito importante em se atentar nos sonhos, segundo a linha junguiana, é saber como o sonhador, o protagonista no sonho (que representa o ego) lida com as forças malignas (a sombra), para se averiguar como, na vida desperta, a pessoa lida com as adversidades, a autoridade e a oposição de idéias. Jung aponta os sonhos como forças naturais que auxiliam o ser humano no processo de individualização.


Ao contrário de Freud, as situações absurdas dos sonhos para Jung não seriam uma fachada, mas a forma própria do inconsciente de se expressar. Para o mestre suíço, há os sonhos comuns e os arquetípicos, revestidos de grande poder revelador para quem sonha. A interpretação de sonhos é uma ferramenta crucial para a psicologia analítica, desenvolvida por Jung.


Abordagem psicológica


Os sonhos são cargas emocionais armazenadas no inconsciente, que projetam imagens e sons, e de acordo com Freud como sabemos que os objetos nos sonhos são derivados de cargas emocionais, podemos através deles chegar a raiz ou seja as emoções que geraram essa imagem ou som. Sendo estudados corretamente pode-se descrever, ou melhor, conhecer o momento psicológico do indivíduo. Fazendo uma analogia, poderíamos pensar numa especie de "fotografia" do inconsciente naquele momento.


Por isso, o sonho sempre demonstra aspectos da vida emocional. Nos sonhos sua linguagem são o que Freud denomina símbolos. Para entender seus variados conteúdos, temos que reconhecer o que os símbolos representam nesse sonho. semelhante ao que foi estudado por Stanislavski, a simbologia dos sonhos não só está dada pelo contato que o criador do sonho teve com o objeto mas também com o caráter, ou seja, a forma que ele lida relaciona sentimentalmente esse objeto a coisas de sua vida, um exemplo pratico o mar pode apresentar distintas simbologias( que são importantes para a interpretação dos sonhos se trata de descobrir a raiz ) variando de pessoa a pessoa( inclusive a época ) para alguns o mar pode significar destruição( o mar destruindo estruturas deixadas na praia ) mas para outros invasão( a água avançando e invadindo território ) de acordo com Freud o que a pessoa sente quanto a esse objeto ou essa situação é fundamental para a interpretação de sonho."Os sonhos são a estrada real para o conhecimento da mente".


Portanto as terapias psicanalíticas usam interpretação dos sonhos como um recurso para "elaborar".Carl Gustav Jung passou a se dedicar profundamente aos meios pelos quais se expressa o inconsciente. Em sua teoria, enquanto o inconsciente pessoal consiste fundamentalmente de material reprimido e de complexos, o inconsciente coletivo é composto fundamentalmente de uma tendência para sensibilizar-se com certas imagens, ou melhor, símbolos que constelam sentimentos profundos de apelo universal, os arquétipos.


Sonho e sono REM


Existem outras correntes, que vêem o sonho de modo diverso. Os neurocientistas, de modo geral, afirmam que o sonho é apenas uma espécie de tráfego de informação sem sentido que tem por função manter o cérebro em ordem. Essa teoria só não explica como esses enredos supostamente desconexos são responsáveis por grandes insights, como em Thomas Edison, por exemplo. Existem muitos outros casos de sonhos reveladores em várias áreas da ciência e da arte, que todavia não impedem que os sonhos sirvam também para recuperar a saúde do organismo e do cérebro.


Sonhos e revelações


A oniromancia, previsão do futuro pela interpretação dos sonhos, tem grande credibilidade nas religiões judaico-cristãs: consta na torá e na bíblia que Jacó, José e Daniel receberam de Deus a habilidade de interpretar os sonhos. No Novo Testamento, São José é avisado em sonho pelo anjo Gabriel de que sua esposa traz no ventre uma criança divina, e depois da visita dos Reis Magos um anjo em sonho o avisa para fugir para o Egito e quando seria seguro retornar à Israel.


Na história de São Patrício, na Irlanda, também figura o sonho. Quando escravizado, Patrício em sonho é avisado de que um barco o espera para que retorne à sua terra natal.


No Islamismo, os sonhos bons são inspirados por Alah e podem trazer mensagens divinatórias, enquanto os pesadelos são considerados armadilhas de Satã.
Filósofos ocidentais eram céticos quanto ao tema religião e sonhos, por alegarem que não haveria controle consciente durante os sonhos, mas estudos recentes analisando movimentos dos olhos (REM) durante o sono mostram resultados cientificamente comprovados com sonhos lúcidos, que se contrapõem às teorias anteriores.


Pensadores e matemáticos como René Descartes e Friedrich August Kekulé von Stradonitz também tiveram em sonhos visões reveladoras. Descartes, em viagem à Alemanha, teve uma visão em sonho de um novo sistema matemático e científico. Kekulé propôs a fórmula hexagonal do benzeno após sonhar com uma cobra que mordia sua própria cauda.