Follow by Email

segunda-feira, 25 de março de 2013

OLHOS DE OXALÁ - INFORMA - BEIJAÇO CONTRA MARCOS FELICIANO

SP marca "beijaço de repúdio" contra Marco Feliciano


São Paulo - Os protestos contra a escolha do deputado pastor Marco Feliciano (PSC-SP) para a presidência da Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara continuam.

Para o próximo sábado, 23, os manifestantes planejam fazer um "beijaço de repúdio" contra Feliciano em São Paulo, na esquina da Avenida Paulista com a Consolação.

Acusado de fazer comentários racistas e homofóbicos, o deputado vem sendo alvo de manifestações desde que o seu nome foi indicado pelo PSC para ocupar o cargo. Ele tomou posse no último dia 7.

O evento, marcado para as 17h, está sendo convocado pelo Facebook e diz ter como objetivo "combater o ódio com o amor". Os organizadores do ato convidam pessoas hetero e homossexuais a darem um beijo para protestar contra a permanência de Feliciano à frente da comissão.

"Somos um coletivo de liberdade e diversidade, então que venham heteros, gays, lésbicas, trans, afrodescendentes, portadores de deficiência, seguidores de religiões menos favorecidas, feministas... Que venham todos aqueles prezam por um Brasil melhor, mais democrático e livre para todos nós seres humanos", diz a organização do evento.

FONTE: http://exame.abril.com.br/brasil/politica/noticias/sp-marca-beijaco-de-repudio-contra-marco-feliciano

OLHOS DE OXALÁ - INFORMA - NOVOS PROTESTOS CONTRA MARCOS FELICIANO

Feliciano volta a enfrentar protestos contra permanência dele em comissão


O deputado Marco Feliciano voltou a enfrentar protestos contra a permanência dele na presidência da Comissão de Direitos Humanos da Câmara. A sessão desta quarta-feira (20) acabou sendo suspensa.

O deputado Marco Feliciano, do PSC de São Paulo, abriu os trabalhos e vieram as manifestações.

“Racismo é crime, racismo é crime, racismo é crime”, falavam os manifestantes.

“Vou falar uma vez só. Se atrapalharem a comissão, a polícia da casa está à disposição”, reforçou o deputado.

Ele ficou oito minutos na Comissão de Direitos Humanos. Passou a presidência para outro deputado e saiu.

Mesmo com a decisão do deputado Marcos Feliciano de deixar a sala da comissão, a confusão permaneceu. Um representante do Ministério da Saúde, Aldo Zaiden, convidado para falar sobre direitos humanos, também deixou a sala da comissão.

“Eu não consigo falar aqui”, disse Zaiden antes de se retirar.

Manifestantes e o deputado Jair Bolsonaro, do PP do Rio, se atacaram.

O presidente da Câmara, Henrique Alves, esteve com o líder do PSC, André Moura (SE), e pediu a saída de Feliciano.

“Mais uma vez fazendo um apelo que ele possa analisar todas as manifestações que estão ocorrendo, não só as favoráveis a ele, mas principalmente as contrárias. E que ele tome a posição mais sensata”, relatou Moura.

O presidente da Câmera recebeu o líder do PSC e ficou acertado que o partido vai buscar mais uma vez uma solução.

FONTE: http://g1.globo.com/jornal-nacional/noticia/2013/03/feliciano-volta-enfrentar-protestos-contra-permanencia-dele-em-comissao.html

OLHOS DE OXALÁ - INFORMA - MANIFESTAÇÕES NO EXTERIOR

Motumbá meus (minhas) amados (as) irmãos (ãs) de nosso BLOG OLHOS DE OXALÁ, Bom dia!

De fato estamos aqui dedicados aos assuntos voltados e centralizados no ORIXÁ XANGÔ, o grande ORIXÁ DA JUSTIÇA. Mas não podemos deixar de dizer, ou quem sabe ainda esquecer, que estamos num período de luta por justiça quanto a COMISSÃO NACIONAL DOS DIREITOS HUMANOS, que hoje é representada pelo então presidente MARCOS FELICIANO.

Deixamos claro, que o nosso BLOG OLHOS DE OXALÁ, assim como muitos não estão de acordo com a eleição e posto deste homem. Não pela sua religiosidade, mas por suas palavras e condutas totalmente racistas e preconceituosas.

Desta forma, vamos deixar você a par de como estão caminhando os atos de protestos e indignação, quanto a eleição e posse desta pessoa, para levar a frente uma COMISSÃO que se diz lutar pelos DIREITOS HUMANOS de nosso povo. 

Manifestações de todas as formas, credos e raças, se mobilizam para tirar do posto esta pessoa que com seus comentários, pregações e pronunciamentos atestam sua total repugnância quanto a NEGROS, UMBANDISTAS, CANDOMBLECISTAS E CONDIÇÕES SEXUAIS, que não estão de acordo com os pontos de vista pessoal e religioso deste cidadão. Mas tais manifestações, ultrapassaram os oceânos, vamos ver onde estão acontecendo outras manifestações para o mesmo propósito no EXTERIOR.


ALEMANHA - Protestos contra o deputado Marco Feliciano chegam a Berlim

Manifestantes de várias nacionalidades enfrentaram o frio da capital alemã para protestar contra a permanência do deputado e pastor na presidência da Comissão de Direitos Humanos da Câmara dos Deputados.

Um grupo de manifestantes reuniu-se neste sábado (23/03) em frente ao Portão de Brandemburgo, em Berlim, para pedir a renúncia do deputado Marco Feliciano (PSC/SP) do cargo de presidente da Comissão de Direitos Humanos da Câmara dos Deputados. Cerca de 80 pessoas de diversas nacionalidades participaram da iniciativa, de acordo com os organizadores.

A manifestação foi promovida e divulgada por brasileiros pelo Facebook. Os organizadores consideraram a iniciativa um sucesso.
"Apesar do frio, muitas pessoas vieram protestar", disse o cientista social Pedro Costa, que participou da organização do evento.

O protesto tinha como objetivo divulgar à comunidade internacional o repúdio à eleição de Feliciano. Costa acredita que manifestações realizadas em cidades de outros países pressionem mais o governo brasileiro.
"Nós sabemos que protestos internacionais têm mais peso e são mais vergonhosos do que os protestos que acontecem no Brasil", explicou.

No início deste mês, o deputado e pastor evangélico Marco Feliciano foi eleito presidente da Comissão de Direitos Humanos. Sua eleição causou indignação entre defensores dos direitos das minorias. Feliciano é acusado de racismo e homofobia por declarações públicas em relação a negros e homossexuais.

Desde então, protestos contra a eleição estão sendo realizados em várias cidades do Brasil. A pressão pela renúncia de Feliciano aumentou na semana passada, após uma conturbada sessão da comissão na qual o deputado perdeu também o apoio de integrantes do seu partido, o Partido Social Cristão.


FONTE: http://www.dw.de/protestos-contra-o-deputado-marco-feliciano-chegam-a-berlim/a-16695393

sábado, 23 de março de 2013

COLETÂNEA LENDAS DE XANGÔ - “Kawo Kabiyesile”



TRADIÇÃO 

Xangô é a divindade do trovão, luz, fogo e justiça. Ele se veste impecavelmente, como é evidente nos seus ricos trajes cerimônias, e adora usar jóias decorativas. Sua dança é rápida representando sua realeza, natureza guerreira, virilidade e sua relação com a luz. Suas cores são o vermelho e o branco, seu dia é a quarta-feira e sua saudação È “Kawo Kabiyesile ”

LENDAS 

Xangô é reconhecido como o orixá da justiça 

Xangô e seus homens lutavam com um inimigo implacável. Os guerreiros de Xangô, capturados pelo inimigo, eram mutilados e torturados até a morte, sem piedade ou compaixão. As atrocidades já não tinham limites. 

O inimigo mandava entregar a Xangô seus homens aos pedaços. Xangô estava desesperado e enfurecido. Subiu no alto de uma pedreira perto do acampamento e dali consultou Orunmilá sobre o que fazer, pedindo ajuda a Orunmilá. 

Xangô estava irado e começou a bater nas pedras com o oxé, seu machado duplo. Este arrancava das pedras faíscas, que acendiam no ar famintas línguas de fogo, que devoravam os soldados inimigos. A guerra perdida foi se transformando em vitória. 

Xangô ganhou a guerra. 

Os chefes inimigos que haviam ordenado o massacre dos soldados de Xangô  

foram dizimados por um raio que Xangô disparou no auge da fúria. Mas os soldados inimigos que sobreviveram foram poupados por Xangô. 

A partir daí, o senso de justiça de Xangô foi admirado e cantado por todos. 

Através dos séculos, os orixás e os homens têm recorrido a Xangô para resolver todo tipo de pendência, julgar as discordâncias e administrar justiça.  

(L.Mitologia dos Orixás, 2001, pp.245)

COLETÂNEA LENDAS DE XANGÔ - A LENDA DA RIQUEZA DE OBARÁ

Já postamos a PARTE I deste seguimento, e nem sabemos ainda a quantidade de postagens do mesmo tema. Mas o que esta importando agora é que tudo esta sendo muito bem pesquisado, preparado com todo amor à XANGÔ e com carinho para você ter o gosto de não perder nenhuma. 


A Lenda da Riqueza de Obará


Eram dezesseis irmãos, Okaram, Megioko, Etaogunda, Yorossum, Oxé, Odí, Edjioenile, Ossá, Ofum, Owarin, Edjilaxebora, Ogilaban, Iká, Obetagunda, Alafia e Obará. Entre todos Obará era o mais pobre, vivendo em uma casinha de palha no meio da floresta, com sua vida humilde e simples. 

Um dia os irmãos foram fazer a visita anual ao babalaô para fazer suas consultas, e prontamente o babalaô perguntou: Onde está o irmão mais pobre? Os outros irmãos disseram-lhe que havia se adoentado e não poderia comparecer, mas na verdade eles tinham vergonha do irmão pobre. 

Como era de costume o babalaô presenteou a cada irmão com uma lembrança, simples, mas de coração e após a consulta foram todos a caminho de casa. Enquanto caminhavam, maldiziam o presente dado pelo babalaô, Morangas? Isso é presente que se dê? Abóboras? . 

A noite se aproximava e a casa de Obará estava perto, resolveram então passar a noite lá. Chegando a casa do irmão, todos entraram e foram muito bem recebidos, Obará pediu a esposa que preparasse comida e bebida a todos, e acabaram com tudo o que havia para comer na casa. O dia raiando os irmãos foram embora sem agradecer, mas antes lhe deixaram as abóboras como presente, pois se negavam a come-las. 

Na hora do almoço, a esposa de Obará lhe disse que não havia mais nada o que comer, apenas as abóboras que não estavam boas, mas Obará pediu-lhe que as fizesse assim mesmo. Quando abriram as abóboras, dentro delas haviam várias riquezas em ouro e pedras preciosas e Obará prosperou. 

Tempos depois, os irmãos de Obará passavam por tempos de miséria, e foram ao Babalaô para tentar resolver a situação, ao chegar lá escutaram a multidão saldando um príncipe em seu cavalo branco e muitos servos em sua comitiva entrando na cidade, quando olharam para o príncipe perceberam que era seu irmão Obará e perguntaram ao Babalaô como poderia ser possível e ele respondeu: Lembram-se das abóboras que vos dei, dentro haviam riquezas em pedras e ouro mas a vaidade e orgulho não vos deixaram ver e hoje quem era o mais pobre tornou-se o mais rico. 

Foram então os irmãos ao palácio de Obará para tentar recuperar as abóboras e lá chegando, disseram a Obará que lhes devolvessem as Abóboras e Obará assim o fez, mas antes esvaziou todas e disse: Eis aqui meus irmãos, as abóboras que me deram para comer, agora são vocês que as comerão. 

E quando o babalaô em visita ao palácio de Obará lhe disse: Enquanto não revelares o que tens, tu sempre terás. E foi assim que se explica o motivo que quem carrega este Odú não pode revelar o que tem pois corre o risco de perder tudo, como os irmãos de Obará.

COLETÂNEA LENDAS DE XANGÔ - ORIXÁ DA JUSTIÇA

Assim como fizemos com outros ORIXÁS, já estudados aqui no BLOG OLHOS DE OXALÁ, uma das coisas que mais nos preocupamos de fato é transmitir as LENDAS DOS ORIXÁS que estão de fato sendo estudados. 


Desta forma, falar de XANGÔ, não poderia ficar por menos. Com isto estamos hoje dando início ao estudo de algumas lendas deste grande ORIXÁ DA JUSTIÇA. Esperamos que gostem.


Conta a lenda que ao ser vencido por seus inimigos, refugiou-se na floresta, sempre acompanhado da fiel Iansã, enforcou-se e ela também. 

Seu corpo desapareceu debaixo da terra num profundo buraco, do qual saiu uma corrente de ferro - a cadeia das gerações humanas. E ele se transformou num Orixá. No seu aspecto divino, é filho de Oxalá, tendo Yemanjá como mãe. 

Xangô também gera o poder da política. É monarca por natureza e chamado pelo termo obá, que significa Rei. No dia-a-dia encontramos Xangô nos fóruns, delegacias, ministérios políticos, lideranças sindicais, associações, movimentos políticos, nas campanhas e partidos políticos, enfim, em tudo que gera habilidade no trato das relações humanas ou nos governos, de um modo geral. 

Xangô é a ideologia, a decisão, à vontade, a iniciativa. É a rigidez, organização, o trabalho, a discussão pela melhora, o progresso social e cultural, a voz do povo, o levante, à vontade de vencer. 

Também o sentido de realeza, a atitude imperial, monárquica. É o espírito nobre das pessoas, o chamado “sangue azul”, o poder de liderança. Para Xangô, a justiça está acima de tudo e, sem ela, nenhuma conquista vale a pena; o respeito pelo Rei é mais importante que o medo. 

Xangô é um Orixá de fogo, filho de Oxalá com Yemanjá. Diz a lenda que ele foi rei de Oyó. Rei poderoso e orgulhoso e teve que enfrentar rivalidades e até brigar com seus irmãos para manter-se no poder.

COLETÂNEA ORIXÁ XANGÔ - MITOLOGIA


Filho de Bayani e marido de Iansã, Obá e Oxum, Xangô nasceu para reinar, para ser monarca e, como Ogum, para conquistar e solidificar, cada vez mais, sua condição de rei. 

Uma das lendas que mostra bem o senso de justiça de Xangô, é aquela conta a história de uma conquista, feita pelo deus do trovão. Xangô, acompanhado de numeroso exército, viu-se frente à frente com o exército inimigo. Seus opositores tinham ordens de não fazer prisioneiros, destruir o inimigo, desde o mais simples guerreiro até os ministros e o próprio Xangô. E, ao longo da guerra, foi exatamente o que aconteceu. Aqueles que caíam prisioneiros dos exércitos inimigos de Xangô eram executados sumariamente, sem dó ou piedade, sendo os corpos mutilados devolvidos para que Xangô visse o suposto poder de seu inimigo. 

Batalhas foram travadas nas matas, nas encostas dos morros, nos descampados. Xangô perdeu muitos homens, sofreu grandes baixas, pois seus inimigos eram impiedosos e bárbaros. 

Do alto da pedreira, Xangô meditava, elaborava planos para derrotar seu inimigo, quando viu corpos de seus fiéis guerreiros serem jogados ao pé da montanha, mutilados, com os olhos arrancados e alguns com a cabeça decepada. 

Isto provocou a ira de Xangô que, num movimento rápido e forte chocou seu machado contra pedra, provocando faíscas tão fortes que pareciam coriscos. E quanto mais forte batia mais os coriscos ganhavam força e atingiam seu inimigo. 

Tantas foram as vezes que Xangô bateu seu machado na rocha, tantos foram os inimigos vencidos. Xangô triunfara, saíra vencedor. A força de seu machado de emudeceu e acovardou inimigo. 

Com os inimigos aprisionados, os ministros de Xangô clamaram por justiça, pedindo a destruição total dos opositores. Um deles lembrou Xangô: 

- Vamos liquidá-los a todos. Eles foram impiedosos com nossos guerreiros! 

- Não! – enfatizou Xangô – meu ódio não pode ultrapassar os limites da justiça! Os guerreiros cumpriam ordens, foram fiéis aos seus superiores e não merecem ser destruídos. Mas, os líderes sim, estes sofrerão a ira de Xangô. 

E, levantando seu machado em direção ao céu, Xangô gerou uma seqüência de raios, destruindo os chefes inimigos e liberando os guerreiros, que logo passaram a servi-lo com lealdade e fidelidade. 

Assim, Xangô mostrou que a justiça está acima de tudo e que, sem ela, nenhuma conquista vale a pena, e o respeito pelo rei é mais importantes que o medo. 

Esse é Xangô que, apesar de ser grande guerreiro, justo e conquistador, detesta a doença, a morte e aquilo que já morreu. Xangô é avesso a eguns (espíritos desencarnados). Admite-se que ele é numa espécie de ímã de eguns, daí sua aversão a eles. 

Xangô costuma entregar a cabeça de seus filhos a Obaluaê e Omulu, sete meses antes da morte destes, tal grau de aversão que tem por doenças e coisas mortas. O elemento fundamental de Xangô é o fogo.

COLETÂNEA ORIXÁ XANGÔ - LEMBRANCINHA DE XANGÔ

Motumbá meus (minhas) irmãos (ãs) do BLOG OLHOS DE OXALÁ.

Esperamos que estejam gostando das postagens referentes à COLETÂNEA ORIXÁ XANGÔ. E como não poderia deixar de ser, aqui estamos enviando nossas LEMBRANCINHAS DE ORIXÁS - XANGÔ, dedicadas para INICIAÇÕES e OBRIGAÇÕES de 1, 3 e 7 anos.

Espero que gostem pois estes são alguns dos exemplos de nosso serviço. Lembrando que todas são EXCLUSIVAS. Sendo confeccionadas de acordo com a QUALIDADE do ORIXÁ. Onde quem as solicita ainda pode acompanhar o andamento de sua confecção aqui no BLOG.

Os preços e condições de pagamento e prazo de entrega, você irá encontrar na PÁGINA LEMBRANCINHA DOS ORIXÁS.




NOVOS MODELOS



sexta-feira, 22 de março de 2013

COLETÂNEA ORIXÁ XANGÔ - O CULTO



Para se entender o culto aos Orixás, é necessário conhecer o significado da palavra: o orixá é a força da natureza divinizada. De acordo com as lendas Yorubás, os orixás vieram do Orum para o Ayé (do céu para a terra). Tiveram corpo físico na Terra por algum tempo, com vida semelhante à dos homens. Depois voltaram em definitivo para o Orum, deixando para os homens as instruções de como seriam cultuados futuramente. 

Xangô é cultuado as quartas-feiras com Iansã e com Oxumarê. No Brasil é o Orixá de alta patente, tendo em Alagoas e em Sergipe significado de Casa de Santo ou terreiro. 

Seu cardápio sagrado é constituído de Abô (carneiro), Akukó (galo), Etu (galinha). Seu animal sagrado é o Ajapá (cágado).


Uma das comidas mais conhecidas deste Orixá é o Amalá, espécie de pirão de farinha com carne misturado com quiabos, colocado na gameleira e enfeitado com certo numero de quiabos (em geral 12) mais pode variar de acordo com o intuito e com a qualidade. 

Sua filiação seria Oxalá e Yemanjá. Sua área de atuação seria a justiça e todas as causas que dependem de certa atenção. Está presente também na proteção de catátrofes e tragédias. Sua bebida é o aluá ou a cerveja preta. Suas contas são de cor marrom. Sua saudação é Kaô Kabecile!!! 

Xangô era rei de Oió, o mais temido e respeitado de todos os reis. Mesmo assim, um dia seu reino foi atacado por uma grande quantidade de guerreiros que invadiram a cidade violentamente, destruindo tudo e matando soldados e moradores numa tremenda fúria assassina. Xangô reagiu e lutou bravamente durante semanas. 

Um dia, porém, percebeu que a guerra tornara-se um caminho sem volta. Já havia perdido muitos soldados e a única saída seria entregar sua coroa aos inimigos. 

Resolveu então procurar por Orunmilá e pedir-lhe um conselho para evitar a derrota quase certa. O adivinho mandou que ele subisse uma pedreira e lá aguardasse, pois receberia do céu a iluminação do que deveria ser feito. 

Xangô subiu e quando estava no ponto mais alto do terreno foi tomado de extrema fúria. Pegando seu oxê, machado de duas lâminas, começou a quebrar as pedras com grande violência. Estas ao serem quebradas, lançavam raios tão fortes que em instantes transformaram-se em enormes línguas de fogo que, espalhando-se pela cidade, mataram uma grande quantidade de guerreiros inimigos. Os que restaram, apavorados, procuraram os soldados de Xangô e renderam-se imediatamente pedindo clemência. 

Levados até ao rei, os presos elegeram um emissário para servir-lhes de porta voz. O homem escolhido foi logo se atirando aos pés de Xangô. Desculpou-se pedindo perdão. Humilhando-se, explicou que lutavam, não por vontade própria, e sim forçados por um monarca, vizinho de Oió, que tinha um grande ódio de Xangô e os martirizava impiedosamente. 

Xangô, altamente perspicaz, enxergou nos olhos do guerreiro que ele falava a verdade e perdoou a todos, aceitando-os como súditos de seu reino. Assim tornou-se conhecido como o orixá justiceiro que perdoa quando defrontado com a verdade, mas que queima com seus raios os mentirosos e delinqüentes. 

COLETÂNEA ORIXÁ XANGÔ - CARACTERÍSTICAS DOS FILHOS





Para a descrição dos arquétipos psicológico e físico das pessoas que correspondem a Xangô, deve-se ter em mente uma palavra básica: Pedra. É da rocha que eles mais se aproximam no mundo natural e todas as suas características são balizadas pela habilidade em verem os dois lados de uma questão, com isenção e firmeza granítica que apresentam em todos os sentidos. 

Atribui-se ao tipo Xangô um físico forte, mas com certa quantidade de gordura e uma discreta tendência para a obesidade, que se ode manifestar menos ou mais claramente de acordo com os Ajuntós (segundo e terceiro Orixá de uma pessoa). Por outro lado, essa tendência é acompanhada quase que certamente por uma estrutura óssea bem-desenvolvida e firme como uma rocha. 

Tenderá a ser um tipo atarracado, com tronco forte e largo, ombros bem desenvolvidos e claramente marcados em oposição à pequena estatura; 

A mulher que é filha de Xangô, pode ter forte tendência à falta de elegância. Não que não saiba reconhecer roupas bonitas - tem, graças à vaidade intrínseca do tipo, especial fascínio por indumentárias requintadas e caras, sabendo muito bem distinguir o que é melhor em cada caso. Mas sua melhor qualidade consiste em saber escolher as roupas numa vitrina e não em usá-las. 

Não se deve estranhar seu jeito meio masculino de andar e de se portar e tal fato não deve nunca ser entendido como indicador de preferências sexuais, mas, numa filha de Xangô é um processo de comportamento a ser cuidadosamente estabelecido, já que seu corpo pode aproximar-se mais dos arquétipos culturais masculinos do que femininos; ombros largos, ossatura desenvolvida, porte decidido e passos pesados, sempre lembrando sua consistência de pedra. 

Em termos sexuais, Xangô é um tipo completamente mulherengo. Seus filhos, portanto, costumam trazer essa marca, sejam homens, sejam mulheres (que estão entre as mais ardentes do mundo). Os filhos de Xangô são tidos como grandes conquistadores, são fortemente atraídos pelo sexo oposto e a conquista sexual assume papel importante em sua vida. 

São honestos e sinceros em seus relacionamentos mais duradouros, porque para eles sexo é algo vital, insubstituível, mas o objeto sexual em si não é merecedor de tanta atenção depois de satisfeito desejo. 

Psicologicamente, os filhos de Xangô apresentam uma alta dose de energia e uma enorme auto-estima, uma clara consciência de que são importantes, dignos de respeito e atenção, principalmente, que sua opinião será decisiva sobre quase todos os tópicos - consciência essa um pouco egocêntrica e nada relacionada com seu real papel social. Os filhos de Xangô são sempre ouvidos; em certas ocasiões por gente mais importante que eles e até mesmo quando não são considerados especialistas num assunto ou de fato capacitados para emitir opinião. 

Porém, o senhor de engenho que habita dentro deles faz com que não aceitem o questionamento de suas atitudes pelos outros, especialmente se já tiverem considerado o assunto em discussão encerrado por uma determinação sua. Gostam portanto, de dar a última palavra em tudo, se bem que saibam ouvir. Quando contrariados porém, se tornam rapidamente violentos e incontroláveis. Nesse momento, resolvem tudo de maneira demolidora e rápida mas, feita a lei, retornam a seu comportamento mais usual. 

Em síntese, o arquétipo associado a Xangô está próximo do déspota esclarecido, aquele que tem o poder, exerce-o inflexivelmente, não admite dúvidas em relação a seu direito de detê-lo, mas julga a todos segundo um conceito estrito e sólido de valores claros e pouco discutíveis. É variável no humor, mas incapaz de conscientemente cometer uma injustiça, fazer escolha movido por paixões, interesses ou amizades. 

Os filhos de Xangô são extremamente enérgicos, autoritários, gostam de exercer influência nas pessoas e dominar a todos, são líderes por natureza, justos honestos e equilibrados, porém quando contrariados, ficam possuídos de ira violenta e incontrolável.

COLETÂNEA ORIXÁ XANGÔ - ARQUETIPOS DOS FILHOS DE XANGÔ


Dando continuidade ao estudo voltado ao ORIXÁ XANGÔ, um dos tópicos centrais deste mês em nosso BLOG OLHOS DE OXALÁ. Aqui estamos oferecendo a todos vocês mais um tópico importante para nos adentrar: AS CARACTERÍSTICAS DE UM(A) FILHO(A) DE XANGÔ


É muito fácil reconhecer um filho de Xangô apenas por sua estrutura física, pois seu corpo é quase sempre muito forte, com uma quantidade razoável de gordura, apontando a sua tendência à obesidade; mas a sua boa constituição óssea suporta o seu físico avantajado. Há também os magros e muito elegantes. 

Com forte dose de energia e auto-estima, os filhos de Xangô têm consciência de que são importantes e respeitáveis, portanto quando emitem sua opinião é para encerrar definitivamente o assunto. Sua postura é sempre nobre, com a dignidade de um rei. Sempre andam acompanhados de grandes comitivas; embora nunca estejam sós, a solidão é um de seus estigmas. 

Conscientemente são incapazes de ser injustos com alguém, mas um certo egoísmo faz parte de seu arquétipo. São extremamente austeros (para não dizer sovinas), portanto não é por acaso que Xangô dança alujá com a mão fechada. Gostam do poder e do saber, que são os grandes objetos de sua vaidade. 

São amantes vigorosos, em seu lado negativo, pobre das mulheres cujos maridos são de Xangô. Um filho de Xangô está sempre cercado por amigos, auxiliares, no caso de governantes, empresários, mas a tendência é que aqueles que decidem ao seu lado sejam sempre homens. 

Os filhos de Xangô são obstinados, agem com estratégia e conseguem o que querem. Tudo que fazem marca de alguma forma sua presença; fazem questão de viver ao lado de muita gente e têm pavor de ser esquecido, pois, sempre presentes na memória de todos, sabem que continuarão vivos após a sua ‘retirada estratégica’

Os filhos de Xangô são tidos como grandes conquistadores fortemente atraídos pelo sexo e o relacionamento predominantemente sexual assume papel importante em sua vida. 

Honestos e sinceros em seus relacionamentos mais duradouros, para eles sexo é algo vital, insubstituível, mas o objeto sexual em si não é merecedor de tanta atenção depois de satisfeito o desejo. 

Donos de uma enorme auto-estima, têm uma clara consciência de que são importantes e dignos de respeito e atenção. Acreditam que sua opinião será decisiva sobre quase todos os tópicos, consciência um pouco egocêntrica, mas de uma naturalidade desconcertante. 

São pessoas sempre ouvidas; em certas ocasiões por gente mais importante que eles e até mesmo quando não são considerados especialistas num assunto ou de fato capacitados para emitir opinião, no entanto a aura de certeza que carregam os faz sempre os primeiros a serem consultados. 

Porém, o rei de várias tribos que habita dentro deles faz com que não aceitem o questionamento de suas atitudes pelos outros, especialmente se já tiverem considerado o assunto em discussão encerrado por uma determinação sua. 

Gostam de dar a última palavra em tudo, se bem que saibam ouvir. Quando contrariados, se tornam rapidamente violentos e incontroláveis. Nesse momento, resolvem tudo de maneira demolidora e rápida, mas feita a lei, retornam a seu comportamento usual. 

Podemos dizer que o filho de Xangô está muito próximo do déspota esclarecido, aquele que tem o poder, exerce-o inflexivelmente, não admite dúvidas em relação a seu direito de detê-lo, mas julga a todos segundo um conceito estrito e sólido de valores claros e pouco discutíveis. 

É variável no humor, mas incapaz de conscientemente cometer uma injustiça, fazer escolha movido por paixões, interesses ou amizades. 

Extremamente enérgicos e autoritários, gostam de exercer influência nas pessoas e dominar a todos, são líderes por natureza, justos honestos e equilibrados, porém quando contrariados, ficam possuídos de ira violenta e incontrolável. 

COLETÂNEA ORIXÁ XANGÔ - ALGUMAS CARACTERÍSTICAS


Motumbá meus (minhas) amados (as) amigos do BLOG OLHOS DE OXALÁ, assim como já fizemos com OXALÁ, YEMANJÁ, OGUM, OXÓSSI, OXUM, vamos nos adentrar um pouco mais neste grande Senhor das Rochas, dos trovões. 


Talvez estejamos diante do Orixá mais cultuado e respeitado no Brasil. Isso porque foi ele o primeiro deus iorubano, por assim dizer, que pisou em terras brasileiras. É, portanto, o principal tronco dos candomblés do Brasil. 

Xangô é o rei das pedreiras, Senhor dos coriscos e do trovão, Pai de justiça e o Orixá da política. Guerreiro, bravo e conquistador, Xangô também é conhecido como o Orixá mais vaidoso, entre os deuses masculinos africanos. É monarca por natureza e chamado pelo termo Oba, que significa rei. E é o Orixá que reina em Oyó, na Nigéria, antiga capital política daquele país. 

No dia a dia encontramos Xangô nos fóruns, delegacias, ministérios políticos. Encontramos Xangô nas lideranças de sindicatos, associações, movimentos políticos, nos partidos políticos, nas campanhas políticas, enfim, em tudo que gera habilidade no trato das relações humanas ou nos governos, de um modo geral. 

Xangô é a ideologia, a decisão, a vontade, a iniciativa. Xangô é a rigidez, a organização, o trabalho, a discussão pela melhora, o progresso cultural e social, a voz do povo, o levante, a vontade de vencer. 

Xangô é a capacidade de organizar e pôr em prática os projetos de diferentes áreas, é a reunião de pessoas, para discutirem pontos e estratégias de trabalho. Xangô também é o sentido de realeza, a atitude imperial, monárquica. É o espírito nobre das pessoas, o chamado “sangue azul”, o poder de liderança. 

Ele está presente nos trabalhos de jornalistas, escritores, advogados, juízes, promotores, delegados, investigadores, deputados, senadores, vereadores, sindicalistas, líderes comunitários, administradores, etc. É o líder, o monarca, o reformador. 

Xangô também é representado pela pedreira. É a pedra – seja ela qual for – a rocha, o fogo interior da terra. É a lava do vulcão e é o próprio vulcão. Está presente em todos os lugares rochosos e arenosos e também muito ligado ao calor do sol. É o justiceiro da Natureza, aquele que manda castigar e que também castiga. 

Xangô está presente em muitos momentos importantes de nossas vidas, como, por exemplo: na assinatura de contratos e distratos, nos telegramas, nas leis e decretos, na confecção de códigos, livros, almanaques, dicionários, nas decisões judiciais, na voz da prisão, na autoridade do professor, do policial, do juiz, do pai ou da mãe, tio, avô, irmão mais velho ou responsável. Xangô é a atitude digna, a fortaleza, a decisão final. 

Saudamos Xangô no ribombar dos trovões, pois ali está sua voz. Sentimos sua presença nos raios e nos grandes incêndios, situações que, por sinal, são também regidas por Iansã. 

Xangô rege a bravura, o senso justo e todo elemento rochoso do mundo. 

terça-feira, 19 de março de 2013

COLETÂNEA ORIXÁ XANGÔ - O MINISTÉRIO DE XANGÔ

O MINISTÉRIO DE XANGÔ 


O conselho divino de Xangô está representado por 12 Obás - sendo seis à direita e seis à esquerda - todos descendentes de Alafins. Tudo nesse tribunal divino será julgado por eles em nome do Deus do trovão. Xangô, no Brasil é aclamado como o Deus da justiça e da verdade. O número 12 equivale ao equilíbrio de Xangô. São eles: 

Os ministros da direita: 

Obá Abiodum 

Onikoyi - rei de Ikoyi 

Aresá - rei de Iresá 

Onanxokum 

Otaleta 

Olugbon - rei de Ogbon 

Os ministros da esquerda: 

Arè ou Arè Onankakanfo 

Otun Onikoyi - braço direito de Xangô e segunda pessoa 

Otun Onanxokum 

Oji Onikoyi - braço esquerdo de Xangô 

Eko 

Kankafo - general de armada, chefe das tropas. 

No sincretismo Católico o povo ligou Xangô a São João Batista, comemorado a 24 de junho ou a São Jerônimo, festejado em 30 de setembro, assim o Orixá tinha sua festa sem restrições dos brancos católicos. 

Xangô cuida de sua própria aparência com cuidado: veste-se de vermelho, usa argolas de ouro nas orelhas e no nariz, seu cabelo é comprido e ele o usa preso em uma longa trança, carregando seu machado nas mãos. Na mitologia romana, é Júpiter, o pai e mestre dos deuses, que pode ser considerado o equivalente a Xangô. E para os gregos, ele é Zeus, o Deus supremo que também é o senhor dos trovões.

COLETÂNEA ORIXÁ XANGÔ - SIMBOLOS

OXÉ 




O símbolo de Xangô é o "oxé", um machado de duas lâminas, tradicionalmente feito em madeira, cobre, latão dourado ou bronze. Esse símbolo é também chamado como : ferramenta de Xangô, arma de Xangô, adamaché e machado da justiça. 

A GAMELA - muito utilizada nas obrigações, convencionalmente de dois tipos: redonda para as comidas, no caso, o Amalá, e ovalada para os assentamentos. São feitas sempre de madeira, de preferência gameleira ou de jaqueira. 

Xangô ainda representa a síntese da liberdade, altivez e realeza dos dignatários africanos, além de ter o domínio e controle das forças da natureza. Para o homem africano que viveu em condição de escravo, Xangô encarnou o ideal e desejo de liberdade, juntamente com Exu e Ogum.

COLETÂNEA ORIXÁ XANGÔ - O REI DOS ORIXÁS



O REI DOS ORIXÁS 

Orixá que domina o fogo, o raio, o trovão, a justiça, sendo também viril e da potência masculina. Autoritário e poderoso, inteligente, o grande administrador, o comerciante, atrevido, violento e extremamente justiceiro. 

Tem Iemanjá como mãe e três divindades como esposas: Iansã, Oxum e Obá. 

Ele próprio foi um rei guerreiro que conquistou reinos e enriqueceu seu povo. O seu trabalho entre os homens é cobrar de quem deve e premiar a quem merece, agindo sempre com muita sabedoria, justiça e poder. 

A tradicional lenda Yorubá, diz da genealogia dos Orixás, que a partir do incesto de Orungã - o ar e as alturas - espaço mimético ao de Xangô - com sua mãe Iemanjá - as águas - o que resultou uma gravidez de deuses, que foram paridos num jorrar de águas, cujo primeiro nascimento foi Exu. Ainda nessa lenda, Xangô é também filho desse casal de mitos-fundadores. 

Outras fontes de referenciação histórica, atribuem a origem de Xangô à união de Oranyan com Torossi - filha de Elempe, rei dos Tapa. Isso fez com que Xangô vivesse primeiro em Kosô no reino de Tapa, seguindo mais tarde para Oyó, onde se estabeleceu num bairro que recebeu o nome de Kosó. Daí um dos títulos de Xangô: OBÁ KOSSÔ. 

COLETÂNEA ORIXÁ XANGÔ - APRESENTAÇÃO


Motumbá, meus (minhas) amigos (as) de nosso BLOG OLHOS DE OXALÁ

É engraçado e verídico, o quão grantificante é falar de XANGÔ. Mais ainda quando vemos que o fato de falar de sua pessoa já meche com todos que na liturgia espiritualista do CANDOMBLÉ ou até mesmo da UMBANDA SAGRADA, se preparam para o culto a este grande ORIXÁ da justiça. 


Mais interessante é saber que na parte física, iniciamos todo este mês a já dar umas pinceladas sobre este tema. E desde ontem percebemos até uma certa mudança climática aqui em nossa região com chuvas e trovoadas, como se Ele de fato já estivesse nos dando a sua benção. 

Falar de Xangô é de fato mergulhar na justiça. E tudo que é justo por seus olhos é revelado, pesado e analisado. Vamos buscar durante todo este Mês de Junho procurar nos adentrar cada vez mais no coração deste Grande Rei de Oyó. 

Um dos orixás mais populares no Brasil (não somente no Brasil, mas também nas Antilhas), zela pela justiça e pelo fogo. 

É o quarto Alafin de Oió, e viveu em 1450 a.C, destacando-se pela sua valentia e liderança. Também é charmoso, sensual e gosta de fazer tudo com muito prazer, por isso, teve três esposas: Iansã, Oxum e Oba. 

Ele é filho de Oranyian, e tem Yamassé como sua mãe. 

Sentimento de derrota é uma coisa que não existe em sua personalidade, apesar de ser famoso por sua ação repressiva e autoritária, consegue distinguir entre o bem e o mal. 

O raio é sua arma, que envia como castigo a quem age de maneira contrária a seus princípios de justiça. 

Os filhos de Xangô são justos e odeiam a mentira e a falsidade,são muito sociáveis e costumam deixar as pessoas admiradas por sua maneira extrovertida e conversadora. Há quem os odeie por dizerem tudo o que pensam. No amor, não há problemas para conquistar, mas podem ser um pouco infiéis. 

Dados 

Dia: quarta-feira; 

Data: 29 de junho; 

Metal: cobre, ouro e chumbo; 

Cor: Vermelho e branco ou branco e marrom; 

Partes do corpo: plexo solar, coração e as coronárias; 

Comida: amalá (quiabo cortado) com rabada; 

Arquétipo: sensuais e até agressivos, voluntariosos, qualidade de chefia e ansiosos pela posição de comando. 

Símbolos: oses (machados), edun ará (pedra de raio), seré.

PALAVRAS DE PEDRO MANUEL T' OGUM - NOVIDADES

Motumbá meus irmãos (ãs), amigos (as) e visitantes do BLOG OLHOS DE OXALÁ. Bom dia!


Com alegria, aqui estamos novamente, após um tempo rápido de silêncio, que se fez necessário, devido à algumas mudanças de vida pessoal, bem como outras mudanças a respeito de Casa de Axé. Mas tudo hoje, já esta voltando ao caminho original das coisas impulsionados pelos ventos fortes de YANSÃ.

Antes que me perguntem, sobre as mudanças sobre CASA DE AXÉ, como era do conhecimento de algumas pessoas, eu participava ultimamente do Axé do BABALORIXÁ KLEBER DE OGUM. Mas  após meu retorno de férias onde fui viajar pra SÃO LOURENÇO em MINAS GERAIS, nesta última virada de ano, de 2012 para 2013, algumas coisas aconteceram. As quais, me forçaram, e hoje vejo como providência, minha mudança de Casa de Santo.

Pois para mim, não existem duas palavras e sim somente uma. Ou é sim ou é não, e quando estas duas se fundem em uma só, no meu ponto de vista, desculpem a sinceridade não cola comigo. Da mesma forma, que tenho enfrentado uma luta danada quanto a INICIAÇÃO de meu companheiro, FERNANDO, que seria para ser filho de OXUM e acabou sendo feito em OXAGUIÃN, ainda mais faltando inúmeros atos, fundamentos. Acarretando alguns problemas de "N" situações, mas que graças a Deus, a OGUM E OXAGUIAN, o ORIXÁ dele já esta devidamente assentado, coisa que nem isso havia sido feito direito no AXÉ em que ele fora iniciado. E que hoje, finalmente somos do mesmo ILÊ ASÉ, como era pra ter acontecido, mas que não ocorreu na iniciação dele, por precipitação, pressa e falta de reflexão em pós e contras que ele iria fazer. 

Mas como sempre digo, a justiça é feita, e nada acontece por acaso. Afinal uma situação destas, só fará e fez que ele aprendesse várias lições na vida, que irão de fato, ensiná-lo muito durante estes sete anos que irão suceder sua caminhada até o último dia da vida dele. Evitando assim que erros como foram feitos na vida dele, não sejam mais feitos em vidas de terceiros.

Mudando de assunto um pouco, partilhamos um pouco a todos vocês sobre alguns assuntos de nossa grade que compõe a COLETÂNEA CANDOMBLÉ, e por último postamos a grande virada da IGREJA CATÓLICA APOSTÓLICA ROMANA, com a sua eleição do novo PAPA FRANCISCO, após a renúncia de BENTO XVI

Sendo assim, motivados por uma forte sequência de fatos, ligados a caminhos retos e justiça. Resolvemos agora nos dedicar a voltar a alguns assuntos que haviam ficado pendentes quanto ao grande ORIXÁ XANGÔ

Esperamos que com isso sua presença não deixe de ser ativa, pois muita coisa boa e interessante de se aprender vai estar aqui em nosso meio de comunicação, que tem sido muito bem visto por inumeras pessoas do MUNDO inteiro.

Que OGUM e OXAGUIÃN, abençoem todos vocês.

Pedro Manuel T' Ogum.

quinta-feira, 14 de março de 2013

OLHOS DE OXALÁ NOTÍCIAS - O NOME FRANCISCO DO NOVO PAPA

Papa se chama Francisco e não Francisco I


O papa argentino Jorge Mario Bergoglio adotou o nome de Francisco, como figura na página oficial do Vaticano, informou à Agência Efe o porta-voz do Vaticano, o jesuíta Federico Lombardi.

O pontífice Francisco não leva o número I, pois não existe um papa Francisco II, disse Lombardi. Se em algum momento houver um Francisco II ou Francisco III e assim sucessivamente, então o atual pontífice passaria para a história como Francisco I.

O mesmo ocorreu com o papa João Paulo, que quando foi sucedido por João Paulo II passou a ser chamado João Paulo I, explicou o porta-voz.

O cardeal americano Timothy Dolan explicou nesta quinta-feira que novo pontífice adotou o nome de Francisco em homenagem a São Francisco de Assis por "sua simplicidade e dedicação aos pobres".

FONTE: http://noticias.terra.com.br/mundo/papa-se-chama-francisco-e-nao-francisco-i,7bed03c5cb56d310VgnCLD2000000ec6eb0aRCRD.html

OLHOS DE OXALÁ NOTÍCIAS - RUMO DE MUDANÇAS PARA A IGREJA CATÓLICA

Eleição do Papa Francisco indica clara mudança nos rumos da Igreja


Argentino, da América Latina e das Américas. Foi uma festa de todo o continente na Praça São Pedro. No mar de gente, nas ondas de emoção que percorriam a praça quando o novo Papa foi escolhido. Era a descoberta das Américas. O primeiro Papa do continente, da Argentina.

E muito se espera dele: “A reforma que se quer é em um sentido espiritual, como ele mesmo anunciou”, diz um brasileiro.

Claro que os argentinos eram os mais alegres, com bandeiras e um sol espiritual que nascia e partia de Buenos Aires para o mundo. Os brasileiros eram mais comedidas, mas contentes também. Os mexicanos adotaram o novo Papa na primeira hora, e cantavam que ele era ‘irmão’.

Nesta quinta-feira (14) os jornais italianos trouxeram o novo Papa na capa. Um Francisco, pela primeira vez. Logo cedo, um comboio levou o novo Papa de volta ao Vaticano. Ele saiu cedo para ir à Basílica de Santa Maria Maggiore, porque é muito devoto da madona.

Nas manchetes dos jornais, a ‘surpresa de Francisco’. Na charge, ele diz: ‘Meus colegas me surpreenderam ao me escolher, mas isso não é nada perto da surpresa que eu estou preparando para eles’.

Os pelo menos 77 cardeais que votaram no argentino Bergoglio e o transformaram no Papa Francisco obtiveram uma clara vitória sobre o grupo da cúria, que dominava o poder no Vaticano. Isso indica uma clara mudança nos rumos da Igreja, um fato muito mais importante até do que a escolha do primeiro Papa latino-americano.

O nome já indica as raízes da inspiração: São Francisco de Assis. A Igreja quer mais simplicidade e um olhar mais solidário aos pobres.

O Papa Francisco vai a Castelgandolfo visitar o Papa Emérito e, às 17h, o Papa Francisco reza sua primeira missa como Papa.

FONTE: http://g1.globo.com/bom-dia-brasil/noticia/2013/03/eleicao-do-papa-francisco-indica-clara-mudanca-nos-rumos-da-igreja.html

OLHOS DE OXALÁ NOTÍCIAS - ELEIÇÃO DO NOVO PAPA

Motumbá meus (minhas) irmãos (ãs) do BLOG OLHOS DE OXALÁ.

Como já é do conhecimento de todos nosso BLOG é sem dúvida voltado ao povo, seja ele do CANDOMBLÉ, bem como da UMBANDA SAGRADA. Mas no dia de ontem, 13/03/2012, o mundo inteiro, de todas as raças, credos, nações, religiões, se voltaram a nova escolha do novo PAPA, da Igreja Católica Apostólica Romana.

Uma escolha realizada, através de eleição, ocorrida no CONCLAVE, em Roma. Alguns dias após a renúncia de BENTO XVI. Que por si só, já fez desta nova eleição um fato notório, em sua decisão.

Caso notório de renúncia, seguido de uma eleição, que obteve para surpresa de todos a escolha do novo sucessor de PEDRO, um representante da IGREJA CATÓLICA LATINA, saindo totalmente da famosa tradição onde só se elegia novos representantes desta denominação religiosa, aqueles que seriam provenientes do território Europeu. A escolha desta vez foi satisfatória tendo seu representante escolhido, um ARGENTINO

Acompanhe as informações abaixo:

Fumaça branca indica eleição de um novo papa para a Igreja Católica


Por volta das 19h05 (15h05, no horário de Brasília) desta quarta-feira, a chaminé da Capela Sistina expeliu a fumaça branca, anunciando para os milhares de fiéis reunidos na Praça São Pedro e observando pela televisão no resto do mundo que os cardeais chegaram a um consenso sobre quem deverá ser o novo papa da Igreja Católica. Foram cinco votações até um cardeal obter dois terços (77) dos 115 votos disponíveis no Colégio Cardinalício.

Ainda não se sabe quem foi escolhido, uma vez que ele só é apresentado ao público após trocar sua batina cardinalícia pela papal e receber o juramento de fidelidade de cada cardeal presente no Conclave. Em breve, o cardeal protodiácono francês Jean-Louis Tauran deve aparecer na sacada do Vaticano e proferir a tradicional frase Habemus Papam, anunciando quem foi o escolhido. 

Em 2005, quando o papa Bento XVI foi eleito, o período entre a fumaça e a tradicional fala levou cerca de 45 minutos. 

Milhares de pessoas enfrentavam a chuva e o frio do início da noite quando o resultado foi anunciado. A multidão começou a festejar logo após a fumaça branca começar a sair da chaminé. A boa nova para a Igreja Católica também foi anunciada com o badalar dos sinos de Roma. Em seguida, mais pessoas começaram a se deslocar para a Praça São Pedro, para aguardar o anúncio do nome do novo papa. 

Anteriormente, os fiéis e turistas reunidos na praça enfrentaram uma longa tarde em que pouca coisa acontecia. Pela hora em que o resultado enfim saiu, acredita-se que tenha havido uma outra votação inconclusiva - sem que a chaminé tenha sido acionada.


Antes da fumaça, um grupo de gaivotas roubou a atenção da imprensa mundial. Televisões e fotógrafas registraram, por um longo período, as aves se alternando no topo da chaminé. Com o cair da noite na capital italiana, elas acabaram deixando o local. Logo após, a fumaça branca apareceu, fazendo valer a espera dos milhares reunidos na praça.

O Conclave

O cerimonial do Conclave papal iniciou na manhã de terça-feira (dia 12), com a realização da missa Pro Eligendo Papa. Na parte da tarde, os 115 cardeais se reuniram na Capela Sistina e prestaram, um por um, juramento de manter segredo durante a duração do processo eleitoral. Em seguida, as portas foram fechadas. Às 19h42 (15h42 de Brasília), a primeira fumaça negra foi expelida, indicando que o primeiro dia acabava sem que um papa fosse escolhido.

Os cardeais retomaram a votação por volta das 9h30 (5h30) desta quarta-feira. Por volta das 11h40 (7h40), a chaminé voltou a expelir fumaça negra, o que significa que um consenso não foi alcançado nas duas votações do turno da manhã. Os cardeais voltaram a se reunir na parte da tarde e acredita-se que um escrutínio tenha ocorrido sem que fumaça alguma fosse expelida. Na última votação do dia, eles chegaram a um consenso.

FONTE:http://noticias.terra.com.br/mundo/europa/renuncia-do-papa/fumaca-branca-indica-eleicao-de-um-novo-papa-para-a-igreja-catolica,188124909136d310VgnVCM5000009ccceb0aRCRD.html

terça-feira, 12 de março de 2013

COLETÂNEA CURIOSIDADES - O CASAMENTO NA ÁFRICA

Casamento africano e suas tradições


África, o continente com mais civilizações antigas, com as culturas mais diversas, repleta da enorme diversidade que a caracteriza..., tudo isto naturalmente se reflecte nas tradições que dizem respeito ao casamento. Embora muitas das tradições possam não ser aceites na nossa sociedade, existem algumas ou até mesmo o seu simbolismo que podem sempre ser incorporadas no vosso casamento.

A maioria das regiões africanas que celebram o casamento tem por base uma premissa: a família. Um casamento africano é isso mesmo: a celebração do conceito da família através da união de duas pessoas; a junção de duas famílias e por vezes até de duas tribos.

África - o continente da diversidade - apresenta muitas religiões e muitas crenças. Existem mais de 1.000 unidades culturais e cada tribo tem a sua própria tradição relativamente ao casamento. As maiores religiões de África são o Cristianismo e todas as suas diversidades, o Islamismo, Religiosa-Étnica, Não-Cristã, Hinduísmo e Baha’i. No norte de África o Islamismo está mais presente e mais para o sul surge o Cristianismo, o Hinduísmo e até algumas tradições Judaicas misturadas com outros costumes antigos

As festas coloridas, a música e as danças são elementos fundamentais de um casamento africano. Tudo depende da parte de África onde o casamento é celebrado, mas muitas cerimónias de casamento podem durar dias, sendo extremamente elaboradas. Por vezes, existem cerimónias conjuntas onde diversos casais são casados ao mesmo tempo. O casamento pode ser algo bastante elaborado, envolvendo uma festa na comunidade que pode durar dias, cheia de dança.

Tal como no restante mundo, o casamento em África é um acontecimento que envolve a família e a junção de duas pessoas. Existem muitas tradições relativas ao casamento em África e nenhuma é igual a outra. Contudo, existe algo em comum, a noiva tem sempre um papel especial sendo sempre tratada com o respeito devido pois ela significa uma nova possibilidade de continuar a família. Em alguns locais, a família do noivo chega a mudar-se para a vila da noiva e monta a sua casa lá.

Em muitos locais de África, as mulheres são ensinadas desde crianças a serem boas esposas, chegando a aprender linguagens secretas passadas pelas anciãs mais velhas para poderem apenas comunicar acerca dos problemas do casamento, sem que os maridos percebam o que elas dizem. Os noivos, em geral, são preparados desde cedo para serem parceiros ideais. Em algumas tribos os mais idosos reúnem-se com a noiva e dão-lhe sábios conselhos para um casamento feliz. Muitas raparigas vão para escolas onde mães mais velhas as ensinam como ser boas esposas.
Etiópia

Na Etiópia, a povoação Karo decora as suas noivas com tatuagens no abdómen com diferentes símbolos.

Na tribo Amhara, muitos casamentos são negociados pelas duas famílias, com uma cerimónia civil a selar o contrato. Por vezes um sacerdote está presente, outras vezes não. Existe um casamento temporário celebrado através de um contrato verbal antes de ser realizado o casamento em frente às testemunhas. 
Kenya

O povo Massai do Kenya faz acordos entre eles relativamente ao destino das suas crianças. Usualmente uma criança está destinada a casar com outra quando chegar à idade apropriada. No casamento, as mulheres são casadas com homens que não conhecem, usualmente muito mais velhos que elas. A noiva recolhe todos os seus bens, e é vestida com as mais finas jóias. Durante a cerimónia o pai da noiva cospe na sua cabeça e peito como sinal da sua bênção; depois a noiva parte com o seu marido para a sua nova casa sem olhar para trás, pois reza a lenda, que se assim não fizer ela transformar-se-á em pedra.

O povo Swahili do Kenya banha as noivas em óleos de sândalo e tatuam henna nos seus pés e mãos. Uma mulher mais velha dá instruções à noiva sobre como ser uma boa esposa, como agradar e fazer sentir bem o seu marido. Por vezes, esta mulher mais velha esconde-se por debaixo da cama dos recém-casados para o caso de serem necessárias instruções adicionais.

Noutra parte do Kenya a maior festa do casamento é a Kupamba, que surge na noite depois do casamento, sendo basicamente um exibir da noiva às mulheres. Nesta festa só estão mulheres, sendo uma festa onde elas podem remover os seus véus, e podem exibir umas às outras os seus magníficos vestidos e penteados, tornando a festa quase numa competição entre mulheres, pois um bom marido providencia boas roupas e boas jóias à sua mulher para que ela as possa exibir às outras.
Nigéria

Os Wodabee da Nigéria cortejam as primas para casar. Os rapazes usam amuletos poderosos para demonstrar o seu encanto às suas primas. Se existirem 2 primos que pretendam a mesma mulher a mulher escolhe um deles, sendo o outro primo convidado a ser amigo do casal e a frequentar a sua casa, e por vezes até a sua cama! 
Namibia

O povo Himba da Namíbia rapta a noiva antes da cerimónia do casamento e coloca-lhe uma espécie de coroa de noiva feita em pele. Depois da cerimónia ela é levada à casa da família onde esta a informa das suas novas responsabilidades de casada, e depois ela é besuntada de manteiga para lhe demonstrar que foi bem aceite na família. 
Sudão

No povo Neur do sul do Sudão, o noivo tem de pagar 20 a 40 cabeças de gado à família da sua noiva e o casamento só é considerado completo depois da mulher ter dado à luz 2 filhos. Se a mulher não conseguir dar à luz, ele pode pedir o retorno das cabeças de gado. No entanto, se o marido falecer, a família do noivo deverá providenciar um irmão do falecido à viúva e este deverá adoptar as crianças do seu irmão como suas.

COLETÂNEA CURIOSIDADES - O CASAMENTO


Casamento religioso e a escolha de nomes de filhos de acordo com a religião dos pais.

A Constituição Federal determina que o casamento religioso tenha validade civil. Isto é, obedecidas as regras da lei civil, um casamento celebrado por Ministro Religioso de qualquer religião ou crença deve ser reconhecido legalmente (Constituição Federal, art. 226, § 216º).

Existem dois tipos de casamento religiosos (Lei dos Registros Públicos, arts. 71 e 72):

1. o casal registra e cartório toda a documentação necessária, e, posteriormente, celebra-se o casamento perante o Ministro Religioso;
2. o casamento é celebrado por um Ministro Religioso e, posteriormente, o casal apresenta a documentação necessária no cartório.

Uma vez que a documentação esteja regular, o casamento terá validade legal (Código Civil, arts. 1.515 e 1.516 – Lei n. 1.100, de 23 de maio de 1950).

Quanto aos nomes dos filhos escolhidos de acordo com a religião dos pais, a lei garante aos pais o direito de escolher livremente a denominação dos filhos.

O sobrenome deve ser o mesmo da família, mas o primeiro nome é de livre escolha.

Havendo recusa arbitrária ou preconceituosa do oficial de registro, os pais têm o direito de pedir ao Judiciário que mande fazer o registro.

Lembrem-se, é importante sempre estarmos informados acerca das leis que nos protegem!!!

Que Òsùmàrè proteja todos de qualquer tipo de preconceito e discriminação.

Casa de Òsùmàrè

COLETÂNEA CURIOSIDADES - O HÁBITO DAS CICATRIZES NA FACE


HÁBITO DE ABRIR CICATRIZES NO ROSTO 

Antiga prática muito difundida entre os iorubá, hoje em dia já não é tão comum, pois com o desenvolvimento cultural e tecnológico perdeu a finalidade, e tende a desaparecer por completo.

A origem desse costume foi na Nigéria Ocidental (povo iorubá), devido à grande quantidade de guerras que havia na região. Os fulani estavam sempre em guerra com os iorubá, e as próprias cidades guerreavam entre si. No meio de uma batalha uma pessoa poderia matar alguém do seu próprio grupo. Já com as marcas no rosto a identificação tornou-se bem mais fácil, e só eram mortos ou aprisionados como escravos aqueles com marcas diferentes, ou os que não tinham marca alguma.

Outro motivo para as marcas era que os escravos, quando não tinham marcas, levavam no rosto a marca de seu dono. 

Os grupos familiares também costumavam marcar o rosto para facilitar a identificação de pessoas da mesma família, ao se encontrarem fora da cidade. Finalmente, algumas pessoas se achavam mais bonitas com cicatrizes no rosto, para “estar na moda”.

Atualmente os ijebú e os ijesá não cortam mais marcas no rosto dos recém-nascidos. Em Ondo são feitas marcas somente no rosto do primogênito, enquanto em Oyo existem famílias que fazem as cicatrizes até hoje.
Alguns exemplos das marcas usadas nas diversas cidades do grupo iorubá: 

1. Àbàjà meta - três marcas horizontais grandes de cada lado do rosto, ou seis menores.

2. Àbàjà merin - quatro marcas horizontais grandes de cada lado do rosto, ou oito menores.

3. Àbàjà alagbele - um dos modelos anteriores com mais três marcas verticais em cima.

4. Pélé - este tipo de marca é feito para embelezar. São três marcas verticais de cada lado do rosto. Característica da cidade de Ife.

5. Gombo - são três marcas verticais laterais bem grandes de cada lado, da cabeça até ao queixo. São características da cidade de Oyo. 

6. Marca da cidade de Ondo - Uma cicatriz vertical, comprida, de cada lado, na frente do rosto.

7. Marca de Ijebú - Três marcas verticais curtas de cada lado do rosto.

8. Àbàjà de Egbá - três marcas verticais em cima de três horizontais.

9. Àbàjà de Ijesà - quatro marcas horizontais de cada lado.

10. Pélé de Èkitì - uma marca vertical de cada lado do rosto (encontra-se também três de cada lado).

11. Àbàjà de Èkitì - nove pequenas marcas horizontais (três a três) com três verticais acima.

12. Ture - diversas marcas verticais finas de cada lado.

Ao encontrar uma pessoa com uma destas cicatrizes, você poderá facilmente identificá-la como nigeriana.

Tudo indica que as “curas” feitas nos filhos de santo foram originadas nesse costume, pois servem também como identificação das pessoas de candomblé. 

Pesquisa/texto: Maria Inez de Almeida - Ifatosin 

Fotos: Internet 

Fernando D'Osogiyan | Março 8, 2013 ás 12:38 am | Categorias: Candomblé | URL: http://wp.me/sds6I-4976