Follow by Email

segunda-feira, 23 de abril de 2012

MENSAGEM DO DIA - LUZIA RODRIGUES

A mensagem do dia de hoje é bem diferente. Além da mensagem em si, propriamente dita, dedico dois vídeos a cada um de vocês, não somente por virtude de ser dia de Ogum. Mas por toda a amizade, companheirismo, visitas de todos vocês a este BLOG OLHOS DE OXALÁ.

A MENSAGEM DO DIA de hoje foi enviada por nossa amiga LUZIA RODRIGUES, no perfil do ORKUT OLHOS DE OXALÁ (O BLOG). Uma amiga nova, mas que em tão pouco, já esta mostrando seu carinho e dedicação a todos nós.


E com esta mensagem simples, mas que por si só, já nos diz muito. Dedico também estes dois vídeos que eu espero que gostem:

TRIBUTO A OGUM


CLARA NUNES - IANSÃ CADE OGUM

ORIXÁ DO MÊS: OGUM

Eu andarei vestido e armado, com as armas de Jorge. Para que meus inimigos tendo pés não me alcancem, tendo mãos não me peguem, tendo olhos não me enxerguem e nem pensamentos eles possam ter para me fazerem mal. Armas de fogo o meu corpo não o alcançarão, facas e lanças se quebrarão sem ao meu corpo chegar, cordas e correntes se arrebentarão sem o meu corpo amarrarem.



SALVE O FIEL SANTO CAVALEIRO DE DEUS E GUARDIÃO DA FÉ !! SALVE JORGE.. SALVE OGUM !!!

No dia 23 de abril a umbanda celebra o Orixá Ogum, sincretizado na figura de São Jorge, aqui no Rio de Janeiro. Todos os umbandistas se voltam para essa vibração sagrada, buscando nela a vivência da religião sob o puro ar da fé e da alegria. 

Em muitas casas a festa não poderia ser diferente, penso na importância desse dia para todos nós, dia em que a vibração máxima da ação, da força, da coragem, da verdade suprema que fica ativamente em ronda. Dia em que os nossos sentidos afloram, afinal é “DIA DE OGUM” !!! 

É dia de vermos OGUM, de sentirmos OGUM, de nos dedicarmos a OGUM!! Como pensar em pouco quando falamos de OGUM? É dia de falar com OGUM. É dia de verdadeiramente nos posicionarmos diante dele como soldados: agindo em sentido de alerta, praticando a religião em sua essência, em posição, estufando o peito, olhando reto e confirmando nossa verdadeira fé. OGUM não é falar, É SENTIR E AGIR .. não é querer, É TRABALHAR PARA CONQUISTAR .. não é tristeza, É CERTEZA VERDADEIRA .. não é pensar, É SER, ESTAR, AGIR PLENO EM TUDO E POR TODOS .. não é silêncio, não é passivo, É ATIVO COM CONSCIÊNCIA .. É PROVOCATIVO .. É PENSAR NA FRENTE, É SER A CAUSA, E, É ESTAR NA FRENTE!!

SUGESTÃO DE LEITURA


Sinopse: Os orixás são deuses que inventam brincadeiras, brigam, se apaixonam, choram, contam histórias, fazem molecagens e até recebem castigos. Quem são essas divindades? Como surgiram? Como vieram parar no Brasil? Ogum, o rei de muitas faces traz histórias de orixás e descreve as suas principais características, mostrando esse lado especial da nossa cultura que é a herança dos povos africanos. 

Além de contar histórias, o livro fala das origens do candomblé e discute aspectos da sua história social. Ao nos aproximar desse universo, Ogum mostra que os deuses podem ser como nós: espertos e preguiçosos, sábios e engraçados, irrequietos e misteriosos. 

Título: O rei de muitas faces e outras histórias dos orixás

Autoras: Lidia Chaib & Elizabeth Rodrigues 

Editora: Companhia das Letras 

APRENDENDO MAIS SOBRE OGUM



Orixá Ogun é um dos mais amados na cultura ioruba. Em primeiro lugar porque ele foi o primeiro ferreiro. Como foi ele, também, quem descobriu a fundição e inventou todas as ferramentas que existem. Portanto é o patrono da tecnologia e da própria cultura, pois sem as ferramentas nada mais poderia ser inventado até mesmo plantar em grandes extensões seria extremamente difícil. Tendo inventado as ferramentas, com a foice ele abriu os primeiros caminhos para o resto do mundo, o que dá a ele o poder de abri-los ou fecha-los.

Com a faca ele fez o primeiro sacrifício ritual, por isso sempre se louva Ogum durante estes sacrifícios e sua invenção da faca. Com o ancinho ele arou terras e plantou, com a tesoura cortou peles e inventou os abrigos. Com o machado cortou árvores para construir abrigos, com o martelo pode unir com pregos que inventou, os troncos. Com a cunha pode levantar grandes pesos e assim aconteceu de Ogum, com a espada que forjou, guerrear e conquistar territórios para seu povo. Ele, no entanto, não quis ser rei, pois preferia os desafios ao poder. Continuou lutando e inventando para sempre. Hoje em dia diz-se que os computadores sao de Ogun e de Ogun sao também todos os analistas de sistemas.

Ogun só cometeu um erro nos mitos, quando seu pai mandou que fizesse uma tarefa e ele pelo caminho embebedou-se com vinho de palmeira e acabou não realizando o que devia. A partir daí nunca bebeu, mas diz-se que os filhos de Ogun adoram vinho branco e devem tomar muito cuidado com bebidas. A guerra é de Ogun, cujo nome significa exatamente guerra. Como Ogun nunca se cansa de lutar, costuma-se chamar por sua ajuda em situações em que é extremamente difícil continuar lutando ou quando o inimigo é extremamente forte. Não se deve invocar Ogun a toa, pois seu gênio é extremamente violento e diz um oriki que ele mata o injusto e o justo, o ladrão e o dono da casa roubada (porque permitiu que acontecesse) portanto não se deve brincar com este orixá, que não perdoa. 

Ogun vive sozinho; é um solteirão convicto. Teve muitas mulheres mas não vive com nenhuma, e criou um filho adotivo abandonado nas mãos dele por Iansã, a deusa dos ventos e raios que por sua vez o havia adotado de Oxum, a deusa do amor e da riqueza Um dos mitos sobre ele diz que Ogum, é filho de Iemanjá com Odudua. Desde criança já era destemido, impetuoso, arrojado e viril, tendo se tornado sempre mais e mais um brilhante guerreiro e conquistado, para seu pai, muitos reinos, não havendo, por esta razão, um só caminho que Ogum não tenha percorrido. Nos intervalos entre as guerras e as conquistas, Ogum criou os metais, a forja e as ferramentas que facilitaram a vida dos homens no mundo. Ele forjou a primeira faca, a primeira ponta de lança, a primeira espada, a primeira tesoura. 

Um irmão dedicado, diz o mito que Ogum tinha por Oxóssi uma afeição muito especial, defendendo-o várias vezes de seus inimigos e passando mesmo a morar fora de casa com Oxóssi, quando este foi expulso de casa por Iemanjá.


Diz ainda o mito que foi Ogum quem ensinou Oxóssi a defender-se, a caçar e a abrir seus próprios caminhos nas matas onde reina. Ogum teve muitas mulheres, a principal delas Iansã, guerreira como ele. Tendo sido roubada por Xangô, que é seu irmão por parte de mãe, Ogum passou a viver sozinho, para a guerra e a metalurgia.