Follow by Email

sábado, 5 de janeiro de 2013

CURSO DE DANÇAS AFRICANAS


POSTAGEM FEITA POR BABALORIXÁ EDSON DE OXUM 

Curso direcionado as pessoas do Axé interessadas em aprender ou se aprimorar nos toques de louvação e invocação do Candomblé: Oguêra - Agueré – Oguelê – Alujá – Igexá e vários outros que compõem o vasto repertório da musicalidade ritualista de Matriz Africana. 

As inscrições estão abertas e o início das aulas esta previsto para janeiro 2013 conforme a formação dos grupos (Terça - Sábado). As vaga são limitadas e para efetivar sua participação o interessado deverá efetuar o pagamento da taxa de inscrição de R$ 100,00. 

O curso completo tem duração de aproximadamente 10 meses - conforme a dedicação e desempenho do próprio aluno. (mensalidade R$ 80,00 incluso material, apostila e uso do atabaque). 

Na conclusão do curso os aprovados serão diplomados e receberão certificado de participação emitido pela ABRATU-Associação Brasileira dos Templos de Umbanda e Candomblé. 

Ministrante do Curso: Ogan Cris D´Omulu - Iniciado em 1998 no Ilê Axé Oxum Opara, ramificação do Ilê Alaketu Axé Ayrá (Axé Batistini). 

Supervisão: Babalorixá Edson D´Oxum - iniciado em 1986 do Axé Alaketu Ilê Owo Ponda filho do Ilê Alaketu Axé Ayrá (Axé Batistini). 

CONTATO: (11) 3453-6175 / 3895-1948 / 3895-1778 / abratu@abratu.com.br 

LOCAL DO CRUSO: RUA DOS SOROCABANOS 407 - IPIRANGA PROXIMO AO MUSEU 

DATA LIMITE PARA INSCRIÇÃO ATÉ DIA 15 DE DEZEMBRO OU CONFORME LIMITE DAS VAGAS. 

Liderenças Religiosas Guerreirasdoaxe 

RUA DOS SOROCABANOS 407 IPIRANGA-SP, São Paulo 

PALAVRAS DE PEDRO MANUEL T'OGUM

Motumbá meus (minhas) irmãos (ãs) do nosso BLOG OLHOS DE OXALÁ.


Com grande alegria estou de volta a São Paulo, depois de ter passado as festividades de final de ano, em São Lourenço, Minas Gerais. Mesmo que trabalhando pude ter oportunidade de passear um pouco, espairecer um pouco e me desligar das loucuras de um ano intenso trabalhando, mesmo que indo para esta cidade ainda a trabalho.

Como já havia comunicado a todos, ainda em viajem, pedi perdão pela demora e atraso de postar algo a respeito da continuidade das COLETÂNEAS, principalmente das QUALIDADES DE OXUM. Mas com alegria, pude fazer isto hoje.

Em relação à postagem sobre a DIVULGAÇÃO DO CURSO DE DANÇAS AFRO, por BABALORIXÁ EDSON DE OXUM. A mesma foI excluída, até este momento em que estou me direcionando a vocês, posicionando-os a respeito dos motivos da ausência de novas postagens. Mas assim que esta postagem chegar até você tenham certeza, de que, as mesmas voltarão ao ar. Bem como o vídeo de BABALORIXÁ KLEBER DE OGUM, com o mesmo tema, sobre as previsões para 2013.

COLETÂNEA QUALIDADES DE OXUM - OXUM IPETU


YEYE PETU (IPETU) é uma Oxum de culto muito antigo, no interior da floresta, na nascente dos rios, ligada a Ossaiyn e principalmente a Oyá dada a sua ligação com Egun.

Qualidade de Oxum que divide o mesmo Ori com Yansã. Gosta do cobre. Encaminha a Olorum os eguns dos afogados usando a coluna de água formada pelos ventos de sua porção Yansã.

Senhora do ibossé. Tem o domínio sobre o odor físico e material. Tem como símbolo o cheiro de abô e odores em geral.

COLETÂNEA QUALIDADES DE OXUM - OXUM KARÊ


Oxum nesta fase está ligada na interação de Ode Ibualamo, seu pai, o grande caçador, e sempre o acompanha nas caças pelas selvas. Karê é uma Oxum jovem, também ligada a Logunede, seu meio irmão.

Ela usa dois keles, um dourado e outro azul claro de Oxóssi e como detalhe um ofá pequeno, junto com braceletes, idés, búzios ...

Sua origem:

Kare é filha de Yemanjá com Odé Ibualamo, porém antes de se casar com Yemanjá, Ybualamo viveu com Oxum Yponda e deste casamento nasceu Logum Ede, porém existem também outras iton que contam que tanto Oxum Karê como Odé Karê seriam filhos somente de Yemanjá, nascidos de uma jogada errada de um obi.

Vamos ao iton:

Iyemanjá passeava pelas matas quando avistou de longe o pequeno Logun Edé. Ela ficou por horas admirando a beleza do pequenino. 

Foi até Orumilá, dizendo que queria ter um filho que fosse tão belo quanto ele. O sábio lhe disse que a criança era mágica e encantada, pois era fruto da união e do amor de seus pais. 

Da mesma forma Iyemonjá estava enlouquecida querendo ter um filho com tal encanto. Orumilá lhe disse que ela deveria pegar um obi, passá-lo no ventre e logo após jogar nas águas. E assim a rainha do mar foi até as águas mais belas e límpidas, passou o obi em seu ventre, mais na hora de jogar na cachoeira, ela atirou errado e o obi caiu em cima de uma pedra, que o dividiu ao meio, metade aindo nas águas e a outra metade no mato. 

E passando – se 9 meses, Iyemanjá deu a luz a um casal de gêmeos, e deu- lhes o nome de Oxum Karê e Odé Karê, e ambos eram tão belos e encantados como Logun Edé. 

As crianças cresceram travessas, Oxum se vestia como Odé, e Odé como Oxum, e por isso ninguém nunca sabia quem era quem. Aprenderam a arte da caça, por isso ambos levam o ofá ( arco e flecha ). 

Em sua aldeia, quando estava na temporada de caça, Oxum Karê ao invés de ficar lá com as mulheres preparando a colheita e a lenha, ela ia para as longas caçadas com seu irmão e com os demais caçadores de sua aldeia. 

Odé ao invés de caçar apenas nas matas com os outros, passou a se embrenhar pelos rios e cachoeiras se tornando junto dela um ótimo pescador... 

Assim o desejo de yemonjá se realizou, pois Orumilá lhe deu dois encantos caçadores das águas! Até hoje muitos acreditam que certa vez houve uma grande seca, acabando com os rios e animais, e por tamanha tristeza os Karê’s tornaram-se um só, juntando assim o obi novamente... Por isso os filhos de Karê são doces como Oxum e destemidos como Oxossi, por que são orixás individuais, mais quando necessário tornam – se uma só força, uma só magia, um só encanto!

COLETÂNEA QUALIDADES DE OXUM - OXUM ODO


Este tipo de OXUM, reina nas nascentes dos rios. A yawô dessa qualificação deve ser coberto com Alá e dentro do seu ibá cinco ovas de peixe. No fim do Orô, lava-se imediatamente o yawô ainda virado. Essa demarcação tem kizilas de ejé. 

É a Mãe das Ancestres; sendo muito parecida com Yemanjá. Veste branco e azul. Come com Oxalá e Yemanjá. Senhora dos perdões. Nas nascentes dos rios reside Yèyé Odó.

COLETÂNEA QUALIDADES DE OXUM - YPONDÁ (PONDÁ)



Yeye Yponda 
(esposa de Oxóssi Ibualama, guerreira e porta um leque) 

Rainha na cidade de Pondá, dona do rio Pondá, Yeye Ipondá rivaliza com yeye Opará quando seus rios se encontram. 

Yeye Ipondá é guerreira, vaidosa ao excesso, aponta sua espada para qualquer um e desafia o intruso. Muito ligada a Owárìs e Igbòálàmà, adora roupas douradas c/ branco e não responde no jogo mais de uma vez, ou seja, se ela responder entenda rápido pois ela não repetirá o que já respondeu. Se irrita ao ser puxada numa roda de candomblé, gosta de ser a primeira se tiver outra Oxum na sala e conte com ela sempre quando se tratar de uma criança. Não perdoa um filho que não respeita ou quebra os seus preceitos e sua liturgia. 

Ponda ou Ypondá ou Pandá: Esposa de Oxossi Ibualama. Porta um leque. É Mãe de Logun-Edé e com sua espada guerreia bravamente. Vive no mato com seu marido. Veste amarelo-ouro e azul-claro na barra da saia. Relacionada ao fogo e aos cemitérios, tem ligação com Egun. A pata é a sua maior quizila, seu bicho de fundamento é a tartaruga. É uma jovem da cidade de Iponda. Tem ligação com Ogum, Oyá, Oxossi e Oxaguiã. Come com Iyemonjá e Oxalá. Alguns dizem ser companheira de Omulu, muito feiticeira tendo ligação com o fogo.