Follow by Email

quinta-feira, 29 de novembro de 2012

COLETÂNEA OXÓSSI CONHECIMENTOS GERAIS - A MORTE DE OXOSSI

Oxóssi morto por Oxumaré


Outra lenda de Oxóssi, conta que numa de suas inúmeras caçadas, sem que tivesse consultado antes Ifá, encontrou uma cobra no mato – Oxumarê. 

Ela lhe diz que não pode ser morta por ele, pois não é um bicho de penas, ele pouco se importou com o aviso, e matou-a com a lança, cortando-a em diversos pedaços e levando para casa para ele mesmo preparar um guisado, com o qual se refastelou. 

No dia seguinte, Oxum, sua esposa, prevendo muitas catástrofes, por causa da quebra de tantos tabus, encontra Oxóssi, deitado no chão morto e rastros de cobra que iam em direção a floresta. Oxum chorou tanto e tão alto que Ifá, condoído pela sua dor, fez Odé, o caçador, renascer sob a forma divina de Oxóssi.

COLETÂNEA OXÓSSI CONHECIMENTOS GERAIS - OXÓSSI É ENFEITIÇADO

Oxossi é enfeitaçado por Ossãe 



Oxóssi, em uma de suas caçadas, teria sido enfeitiçado pelo seu irmão Ossãe, apesar dos avisos de sua mãe Yemanjá, para que tivesse cuidado. Afasta-se da família até que o encanto seja quebrado, quando volta, encontra Yemanjá ainda irritada pela atitude do filho em não tê-la ouvido. Oxóssi volta a floresta sob a influência de Ossãe o que faz com que Ogum se rebele contra a própria mãe.

Este aprendeu todos os segredos da mata com seu irmão Ossãe e é ele quem defende o acesso às plantas, dificultando a penetração no mato daqueles que não tem o preparo devido.

COLETÂNEA OXÓSSI CONHECIMENTOS GERAIS - O CAÇADOR DE UMA FLEXA

OXÓSSI, O ORIXÁ DE UMA FLECHA SÓ 


Em tempos distantes, Odùdùwa, Obà de Ifé, diante do seu Palácio Real, chefiava o seu povo na festa da colheita dos inhames. Naquele ano a colheita havia sido farta, e todos em homenagem, deram uma grande festa comemorando o acontecido, comendo inhame e bebendo vinho de palma em grande fartura. 

De repente, um grande pássaro, (èlèye), pousou sobre o Palácio, lançando os seus gritos malignos, e lançando fardas de fogo, com intenção de destruir tudo que por ali existia, pelo fato de não terem oferecido uma parte da colheita as Àjès (feiticeira, portadoras do pássaro), personificando seus poderes atravez de Ìyamì Òsóróngà. 

Todos se encheram de pavor, prevendo desgraças e catástrofes. O Oba então mandou buscar Osotadotá, o caçador das 50 flechas, em Ilarê, que, arrogante e cheio de si, errou todas as suas investidas, desperdiçando suas 50 flechas. 

Chamou desta vez, das terras de Moré, Osotogi, com suas 40 flechas. Embriagado, o guerreiro também desperdiçou todas suas investidas contra o grande pássaro. 

Ainda foi, convidado para grande façanha de matar o pássaro, das distantes terras de Idô, Osotogum, o guardião das 20 flechas. Fanfarão, apesar da sua grande fama e destreza, atirou em vão 20 flechas, contra o pássaro encantado e nada aconteceu. 

Por fim, já com todos sem esperança, resolveram convocar da cidade de Ireman, Òsotokànsosó, caçador de apenas uma flecha. 

Sua mãe Yemonjá, sabia que as èlèye viviam em cólera, e nada poderia ser feito para apaziguar sua fúria a não ser uma oferenda, vez que três dos melhores caçadores falharam em suas tentativas. Indo se consultar com Ifá para Òsotokànsosó. 

Foi consultar os Bàbálàwo. Eles disseram que fizesse algumas oferendas. Que preparase um pouco de ekùjébú (grão muito duro) naquele dia. Como também tenha um frango òpìpì (frango com as plumas crespas). Com èkó (massa de milho envolta em folhas de bananeira). Nesta oferenda tinha de ter seis kauris. 

Yemonjá faz então assim, pediram ainda que, oferecesse colocando sobre o peito de um pássaro sacrificado em intenção. Isto deveria ser oferecido numa estrada, e que fosse recitado o seguinte: “Que o peito da ave receba esta oferenda”

Neste exato momento, o seu filho disparava sua única flecha em direção ao pássaro, esse abria sua guarda recebendo a oferenda ofertada por Yemonjá, recebendo também a flecha serteira e mortal de Òsotokànsosó. 

Todos após tal ato, começaram a dançar e gritar de alegria: “òsóòsì! òsóòsì!” (caçador do povo). A partir desse dia todos conheceram o maior guerreiro de todas as terras, foi referenciado com honras e carrega seu título até hoje.

COLETÂNEA OXOSSI CONHECIMENTOS GERAIS - OXÓSSI APRENDE A ARTE DA CAÇA

Oxóssi aprende com Ogun a arte da caça 


Oxóssi é irmão de Ogum, tendo, pelo irmão, um afeto especial. 

Num dia em que voltava da batalha, Ogum encontrou o irmão temeroso e sem reação, cercado de inimigos que já tinham destruído quase toda a aldeia e que estavam prestes a atingir sua família e tomar suas terras. Ogum vinha cansado de outra guerra, mas ficou irado e sedento de vingança. Procurou dentro de si mais forças para continuar lutando e partiu na direção dos inimigos. Com sua espada de ferro pelejou até o amanhecer. 

Quando por fim venceu os invasores, sentou-se com o irmão e o tranqüilizou com sua proteção. Sempre que houvesse necessidade ele iria até seu encontro para auxiliá-lo. Ogum então ensinou Oxóssi a caçar, a abrir caminhos pela floresta e matas cerradas. 

Oxóssi aprendeu com o irmão a nobre arte da caça, sem a qual a vida é muito mais difícil. Ogum ensinou Oxóssi a defender-se por si próprio e o ensinou a cuidar da sua gente. Assim, Ogum, podia voltar tranquilo para a guerra. Ogum fez de Oxóssi o provedor. 

Oxóssi é o irmão de Ogun. 

Ogum é o grande guerreiro. 

Oxóssi é o grande caçador. 

Osòósì mata o grande pássaro.

COLETÂNEA OXÓSSI CONHECIMENTOS GERIAS - O CONSELHO ARAMEFA



Bom Dia, Arole Kole !! 

ARO LE KOLE! 

Hoje homenageio a este conselho sagrado de pai odé. 

Me refiro ao "arámefá", conselho constituído por 6 pessoas que zelam e cuidam do ile odé em uma casa de axé. Toda casa com algum tempo de aberta deve possuir tal conselho com toda clareza e certeza. Odé exigirá isto do babá ou yá. 

Tais cargos e pessoas que cuidam de toda preparação dos objetos pessoais de culto a Odé no ile como tocar alvorada, enfeitar o ile odé e zelar pela caça do grande rei. 

O POSTO DE QUE LEVA A CAÇA A ODÉ NO QUARTO DE SANTO CHAMA-SE: ÁLÁJOPÁ. CARGO DE QUE SO SE DA A ALGUÉM DE MUITÍSSIMA CONFIANÇA DO ORIXA ODÉ. 

Ele é responsável por uma das partes mais importantes do ritual do grupo aramefá encarregado de zelar e perpetuar o culto de Odé. 

LEMBRANDO QUE POSTO NÃO E TRANSITÓRIO SE JA DEU SÓ SE SUBISTITUI APÓS A MORTE DA PESSOA!! Boa tarde povo dom bem; oke aro! 

Odé, hoje me deixou inspirado. Babalorisa Kleber Ti Ogum.