Follow by Email

quinta-feira, 8 de novembro de 2012

DICIONÁRIO YORUBÁ LETRA K

Motumbá, Saravá, Kolofé meus (minhas) amigos (as) de nosso BLOG OLHOS DE OXALÁ. Bom Dia!! 

Como já foi colocado estamos reformulando nosso BLOG OLHOS DE OXALÁ. Portanto, assim que terminarmos de repostar a COLETÂNEA DICIONÁRIO YORUBÁ, estaremos abordando temas como: OXÓSSI, OXUM, XANGÔ, IANSÃ (OYÁ), E, LOGUN-EDÉ, que também serão revistos no decorrer do mês completando assim a seqüência certa de nossas postagens. Esperamos que este mês seja de total sucesso como o mês anterior se mostrou ser.

E como não poderia deixar de ser, aqui estamos dando continuidade à colaboração de nosso amigo e COLABORADOR BABALORIXÁ EDSON DE OXUM, que nos presenteou com todo o DICIONÁRIO YORUBÁ


- recolher, dobrar, colher frutos, ao lado de, em torno de (Vd. NI APÁ
– enrolar, arregaçar (Vd. FIDI, WÉ, LÓ-PO
– ler, contar (Vd. KÀWÉ, KÀIYE, KÉ
KA – quintal (Vd. IKARÁ, EHINKUNLÉ
KAÀBÒ – bem vindo (Vd. KÙ ABÒ
KAANU – sentir pena de 
KABA - vestido de mulher 
KÁBÍYÈSÍ – cumprimento de respeito a um rei (Oba) 
KÁBÍYSÌLÈ – expressão de respeito a um chefe mais velho 
KADARA – destino (Vd. ODÚ, AYANMO
KÁ ÈSO – colher frutos 
KÀGÒ – pedir permissão para entrar em uma casa 
KÁÌ! - Ah! Oh! (interjeição) 
KA ÌWÉ – ler livro 
KÀIYE – contar números (Vd. KÀ, KÉ) 
KAIODÉ - nome de uma sacerdotisa de ÒSÓÒSÌ 
KAJÚ - caju 
KÁKO – madeira (Vd. ÍGI
KAKÍ – acabar 
KÀ-KÚN – envolver 
KÁLÀMÙ– caneta 
KALÉ – lá fora 
KALÈ - sentar 
KALÈ O – boa noite (Vd. O KÚ-ALÈ, E KÁALE, O DARÒ, E KÁASALÉ
KALO – vamos indo (vd. E JÉKALO!
KAN – uma, um (número cardinal), um entre muitos 
KAN– ácido (Vd. KIKANU
KÀN, KÀN ÌLÈKÙN – atingir, bater (à porta) 
KAN – amargo, azedo (Vd. WEWE
KANÁ – estar em chamas 
KÀNGA - poço 
KANGARU – canguru 
KÀN ISÓ – bater um prego 
KANKAN – rapidamente (Vd. FEFE, TETÉ, KÍAKÍA
KANKANFÔ - um dos Obá da direita de Xangô 
KÀN-LOGÙN – enfeitiçar (Vd. FI-AJÉ-UM, FIOSÓ-UM
KÀNNANGO – cavanhaque (Vd. IRUN ÈKE
KANNÚ – nervoso 
KANSOSO – sozinho, único (Vd. NIKAN
KANTÍKANTÍ – mosquito (Vd. EDINFIN
KARAHUN – concha (Vd. IKARAHUN, EYO
KARÉLE – Oxossi ligado à Oxum. 
KÀRÍKÁ – formiga preta 
KARÒ O – bom dia (Vd. EKARÒ, O KO-ARO, E KÀÁRÒ
KAROTI – cenoura 
KÁRÙN – ficar doente 
KASAN – boa tarde 
KASÉ – parar, ficar (Vd. SIMI, DA-DUKO, DÁ-DÚRO, DÚRO
KASÍ – convite (Vd. PIPE, SÁ
KASIKAN? – qual é o problema? 
KATABÁ – chapeleiro, charuto 
KATAKATA – aqui e lá 
KATUNGA – um dos reis de Oyó 
KAWE – ler livro, carta, estudar 
KÀWÓ – contar dinheiro, saudação, aclamação 
KE – contar (Vd. KÀ, KÀIYE
KÉ, KEGBE – gritar, chorar, esbravejar 
KEDÉ – roda (Vd. ÓKIRÍBITÍ) 
KEDERE – claro, clarear, esclarecer 
KEFÁ - sexto número ordinal 
KEFERÍ – incrédulo, pagão 
KEHIN - sobreviver 
KÉHÌNDÉ – o segundo gêmeo a nascer 
KÈHÌNSÍ – ser contra 
KEJILÁ - décimo segundo (número ordinal) 
KÈKÉ - bicicleta 
KÉKÉ ÉRÚ - ônibus 
KÉKERÉ, KÉRÉ – pequeno, ser pequeno (Vd. KÚRU
KÉKÉRÉ – arbustos e espécies rasteiras 
KÉKERÉ ODE – pequeno caçador 
KÉKÓ – aprender, estudar 
KELE – colar, aliança (Vd. ÌLÈKÈ, ILEKE-ORUN
KEMI – adule-me 
KÈRÈGBÈ – cabaça (Vd. IGBÁ
KÉRÉ JÙ - menor 
KERE KABA - vestido de mulher 
KEREMO – grandão 
KEREWU – bracelete (Vd. ÈGBÀ
KERÍ – abominar, odiar, detestar (Vd. ÌRÍRA SAIFÈ, KÓRÍRA
KETÀ - terceiro (número ordinal) 
KETEKETÉ – asno 
KÉTÉKÉTÉ ONÍLÀ - zebra 
KÉTU – cidade à oeste de Dahome no sul de Porto Novo e à leste de Egba. Também dá nome a uma nação do candomblé no Brasil 
– cumprimentar, felicitar, visitar, que (Vd. KÍI – cumprimentou-o) 
– grosso 
KI – não (advérbio de negação), abarrotar (Vd. KÒ, TÍ, BÉÈKO
KIA - vem, rápido (do verbo ir) (Vd.
KÍÁKÍÁ – rapidamente (Vd. FEFE, TETÉ, KANKAN
KIAKIA – cedo (Vd. KUTUKUTU) 
KIBITI – redonda (Vd. REPÓ, REPOMÓ, RIBITI, BIRIKITI
KIBO – enfiar (Vd. FIBAKÓ, TIBO
KÍGBE, IGBE – gritar 
KÍGBE MÓ – gritar com alguém 
KÌÍ – se não é (quando não for aquela pessoa negativa do vergo jé = ser) 
KIJÓ – abatido 
KIKÀ - enrolado 
KIKANU – ácido (Vd. KAN
KÍKO – escrito 
KIKÚ, KIKÚN - mortal 
KIKUN – abundância, fartura 
KIKUNÁ – erro 
KÍLÒ – quilo (medida de peso) 
KILÒ FUN – avisar 
KÍ MÁ BA - a fim de que não, por que não 
KÍNI – o que? Que? 
KÌNÌUN - leão 
KÍNLA! – o que! 
KIOSE, KIORIBE – talvez (Vd. BÓYÁ, ABOYÁ
KÍOTÓ - antes de 
KIRUN – orar, rezar (Vd. GBÀDÚRÀ
KÍ-TÓ – antes que 
KIUN - miúdo 
KIYESI! - atenção!, sentir, perceber, observar 
– rejeitar, construir, não (advérbio de negação), reunir (Vd. KI, TÍ, BÉÈKO
KO – não ser (partícula negativa, usada com o verbo ser) 
KO – areia, solo 
– aprender, adquirir, escrever, ensinar, lecionar, tossir, cantar (Vd. WÚKÓ, ERÚ, KÒWÉ) 
KO DAJU – dúvida 
KOFÍ – café (Vd. OMI DUDU
KÒ GA, KÚRÚ – ser baixo 
KÓ ÌWÉ – escrever no papel 
KOJÁ – passar (hora), passado (Vd. SEHIN, IGBANÍ
KOJÁ, KOJÁDE – acima (nas alturas). 
KÓ-JINLE – aprofundar 
KÒ-JÙLO – mais do que 
KOKEN – galinha da angola (Vd. ETÙ
KÓKÓ – cacau 
KÒKÒ - cachimbo 
KOKO-ÒRÒ – fato, palavra chave 
KÓKÓRÓ – chave 
KÒKÒRÒ – inseto, mosca (Vd. ESINSIN
KÒLA – noz de cola amarga sagrada para a maioria dos Orixás 
KOLABÁ - nome de uma sacerdotisa do culto de Xangô. 
KÓLÉ – assaltar uma casa 
KÓ-LEKÓ – doutrinar, educar 
KOLOFIN - marginal 
KOLOJÚ - inseguro 
KOLOKOLÓ – baixo, debaixo, raposa 
KÓLÒLÒ – gaguejar 
KÓLÙ – atacar, enfrentar, confrontar 
KÒNA – esquina (Vd. ORIGUN) 
KONDO – cassetete 
KÒNKÒ – sapo (Vd. ÒPOLO
KOPANIJÊ - um toque especial do orixá Obaluaiyê 
KO PO – juntar (Vd. WINRIN, DAPOMÓ
KÓRÈ – recolher, colher 
KORIBÈ – amém 
KORÍKO – grama, capim 
KÓRIN, KUNRIN – cantar cânticos 
KÓRÍRA – odiar, aborrecer, detestar (Vd. KERÍ, SAIFÈ, ÌRÍRA) 
KORÒ – amargo 
KORÓ – lugar, vala (Vd. OGBUN
KOSÈ – amém 
KÒ SÍ – não há, não tem, não está 
KÒ SÍLÉ – divorciar 
KOSOKO – sucessor legítimo e oponente de Oluwole na sucessão à chefia de Lagos 
KOSORO – fácil 
KÒ TÍÌ - ainda não 
KOTÌNÌ - cortina 
KÒ TÓ – menos que 
KÒTÒ – buraco (Vd. IHÀN, ISÀ, IHÒ
KÒ TÒPÉ – de nada, não há de quê 
KOTU– paletó (Vd. ASO ÌLÉKÈ
KÒWÉ – escrever (Vd. ERÚ) 
KOSERÊ - que seja feliz, e que tudo de bom aconteça. 
KPO – misturar ou temperar o barro (o barro que criou o homem) 
KPOKPO – quem mistura e tempera o barro para criar o homem. Atribuído à Obatalá 
KRA – espíritos guardiões que entra na pessoa ao nascer 
KRADU – Cidade da Nigéria 
– morrer, falecer (Vd. PALARO
– faltar (horas), sobrar 
KÚ ABÒ – bem vindo (Vd, KAÀBÒ
KU ÁLÈ – boa noite 
KU ARÓ – bom dia 
KUBUSÚ – tapete (Vd. ASO TITÉ SÍLÈ
KUIPÀ – tecido rústico 
KU ÌROLE, KUROLE – boa tarde (Vd. KU ÒSAN) 
KUJASÍ - enfrentar 
KUKÙ – espiga de milho 
KÚKÙ – cozinheiro (Vd. ALASÈ
KUKURU – baixo 
KULÈ – emigração dos povos 
KULÉKULÉ – raiz (Vd. GBÒNGBÒ
KÙMÒ, EGBÉ - clube 
KÚN – cheio (Vd.
KUN – cortar o animal em pedaços, pintar 
KÙNA - fracassar 
KÚNLÈ - ajoelhar-se 
KUNLÉ – rebocar ou caiar uma casa 
KUNLÓRUN – acalentar 
KUNLOWO – ajudar, encontrar 
KUNRIN – cantar (vd. KORIN) 
KU ÒSAN – boa tarde (Vd. KU ÌROLE
KUREKERÈ – fada, espírito (Vd. ALÙJONÚ, ÀRONI, EGBÉRE, IWIN
KÙREKÙRÉ – fada, anão 
KÚRÒ – deixar um lugar 
KUROMU - redondo 
KURÒ NIBÉ! – Fora! (Vd. LÒ KURÒ ¡!!, LÓ– fora!!!!
KÚRÚ – curto, baixo, pequeno (Vd. KÉKERÉ, KÉRÉ
KUSO – cidade onde Xangô morreu 
KUTUKUTU – cedo (Vd. KIAKIA)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Gostou desta postagem? Deixe aqui seu comentário, sugestão, critica a fim de melhorar nossos serviços.