Follow by Email

segunda-feira, 11 de fevereiro de 2013

COLETÂNEA LOGUN E O PRECONCEITO - PRECONCEITO CONTRA A MINISSÉRIE SEREIA

Religiosos extremistas pegam no pé da sereia


Depois de implicarem com “Salve Jorge”, chegou a vez dos extremistas religiosos apontarem suas críticas à minissérie “O Canto da Sereia”.

Assim como na novela de Gloria Perez, o alvo é a crença de outras religiões. No caso de “Salve Jorge”, acusavam a Globo de fazer uma novela com um santo pagão, e em “O Canto da Sereia” o que é usado como justificativa aos ataques é o candomblé e o bissexualismo da protagonista Sereia (Ísis Valverde).

Em imagens divulgadas no Facebook, fotos dos personagens da trama aparecem ao lado de um texto escrito em WordArt dizendo “Depois de Salve Jorge agora é Oxum ‘O Canto da Sereia’ Isis Valverde será Bissexual”.

Protesto de pastor contra minissérie “O canto da Sereia” é tema de reportagem da Record

No programa Domingo Espetacular 13/01/13 trouxe uma reportagem abordando o protesto do pastor Divino Aleixo Marinho da Igreja Betel Palavra de Fogo, contra a minissérie “O canto da Sereia” que segundo ele foi uma forma de instruir os fieis do que é contra a Palavra de Deus.


O programa da TV Record entrevistou o pastor da Igreja Betel Palavra de Fogo, que criticou a abordagem feita pela Globo em relação às religiões. Para ele, o tratamento é desigual.

“A distribuição em relação à religião que a emissora em si propõe não é muito justa. Quando aborda um assunto religioso, sempre aborda de uma maneira crítica, ou diminuindo a capacidade que os evangélicos têm. Eles consideram a gente como um povo pequeno, um povo sem cultura”, afirma o pastor.

A reportagem repercutiu ainda as manifestações dos autores Glória Perez e Walcyr Carrasco, que através do Twitter, reclamaram dos protestos contra as produções Salve Jorge e O Canto da Sereia, e ressaltou a declaração da criadora da atual novela das nove, que afirmou ter medo do “modo talibã de ser” dos evangélicos que acompanharam os protestos do pastor Marinho.

Em resposta de Marinho às críticas feitas à sua iniciativa, foi baseada nos princípios que o levaram a pedir que os fiéis não acompanhassem a microssérie: “A minha opinião é que, infelizmente, se era intenção dos criadores ou não, eles passam uma mensagem contrária ao que a Bíblia diz”, pontua.

Procurada pela reportagem da Record, a assessoria da TV Globo pronunciou-se dizendo que a emissora é “laica e assim é vista pela maior parte do público brasileiro”, e se negou a comentar a possibilidade de que exista uma personagem evangélica com status de protagonista na próxima novela que for produzida.

A reportagem do programa Domingo Espetacular ouviu ainda os pastores Diógenes Monteiro e Agenor Duque, que criticaram a iniciativa da Globo em tentar se aproximar do público evangélico.

Para Duque, o Festival Promessas, é uma “jogada de marketing”, que não enfatizou a “pregação do Evangelho”. Já Monteiro ressaltou que ao seu ver, a aproximação é uma tentativa de “maquiar uma série de abusos que têm sido cometidos contra a comunidade evangélica”.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Gostou desta postagem? Deixe aqui seu comentário, sugestão, critica a fim de melhorar nossos serviços.