Follow by Email

terça-feira, 5 de março de 2013

COLETÂNEA O CANDOMBLÉ - A IMPORTÂNCIA DO EBÓ


FOTO ILUSTRATIVA - INDICAÇÃO DE LIVRO 

A Grande importância do EBÓ 

Antes de fazer qualquer tipo de ebó, sempre consulte um Babalorisá, uma Yalorisá ou um babalawo e consulte o jogo para saber qual é o ebó adequado a seu problema. 

Importante em um ebó a saber: 

Dia - cada dia tem um orisá regente. 

Hora- a horários inapropriados para alguns tipos de ebó. 

Lua - todas as fases da lua trazem um significado para certos ebós. 

Oficiante - quem pode fazer ( indicado a Babalorisás Yálorisas e Babalawos ) 

Local a ser arriado - Consultar o jogo e as determinações dos orixas para o local. Nunca faça nada sem consultar o jogo ou alguém serio. Ebó é sagrado! 

Os Ebós são uma série de rituais que visam corrigir várias deficiências na vida de um ser humano (saúde, amor, prosperidade, trabalho profissional, equilíbrio, harmonia familiar, etc.). 

A composição de cada ebó depende de sua finalidade e seus componentes irão desde bebidas, frutas, folhas, velas, adornos, alimentos secos, mel, dendê, louças, artefatos de barro ou ágata. 

Os EBÓS têm grande importância para o ALTO CANDOMBLÉ. Eles são como uma súplica para se alcançar uma graça. Mesmo os EBÓS mais simples de serem feitos envolvem um profundo conhecimento dos fundamentos do ALTO CANDOMBLÉ, pois absolutamente nada pode sair errado ou desconsiderado. 

É de total obrigação de uma GUARDIÃ DE ORIXÁ dever neste momento saber escolher e adquirir os alimentos e presentes que compõem o EBÓ

Fora isso, quando uma GUARDIÃ DE ORIXÁ está na cozinha do santo (que deverá estar muito limpa e na mais perfeita ordem) a GUARDIÃ deverá estar completamente vestida de branco, cabeça coberta, preparando os alimentos no mais profundo silencio, e sem nenhum tipo de interrupção. 

Na cozinha impecavelmente limpa, a Guardiã de ORIXÁ está em um momento “especial”, focada no seu trabalho e nos fundamentos específicos do Candomblé para o correto preparo daquele prato, sempre em posição de total respeito ao ORIXÁ

Muitas vezes também acontece do próprio ORIXÁ que vai receber aquele EBÓ “encostar suas energias” na Guardiã e solicitar alguma alteração em determinada preparação. 

Mas o maior problema está na hora de “arriar um EBÓ”, pois esta é uma ação ritualística, um processo detalhado de aproximação e de maior troca de energias com o ORIXÁ. Somente as pessoas iniciadas na religião é que podem e devem fazê-lo pois arriar um EBÓ envolve um conhecimento muito profundo do lugar, do dia e da hora que isso deve ser feito. 

Eu sempre costumo dizer que “arriar um EBÓ” significa perpetuar a troca do AXÉ entre os dois mundos, o sagrado e o profano. É a parte dinâmica das transferências entre o ORIXÁ e a pessoa que necessita aquele EBÓ

By BABALORIXÁ PAULO DE OMULU. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Gostou desta postagem? Deixe aqui seu comentário, sugestão, critica a fim de melhorar nossos serviços.