Follow by Email

terça-feira, 5 de março de 2013

COLETÂNEA O CANDOMBLÉ - GALINHA DE ANGOLA



Na semana passada, nosso amado Pai Pecê, falou-nos que tudo do Candomblé está fundamentado nas histórias, cânticos e danças. Dessa forma, hoje, resolvemos publicar uma antiga história Nàgó que explica o surgimento das pintas brancas da Galinha de Angola, explica ainda, porque essa ave é o principal animal da Religião dos Òrìsàs. Isso ratifica que na nossa religião para tudo que fazemos, existe sim uma fundamentação. 

A Galinha de Angola era uma ave muito feia e por isso, afastava as pessoas de perto de si, mesmo sendo muito rica. Ela vivia abandonada em uma grande floresta em meio a sua riqueza. 

Cansada de ser desprezada, resolveu consultar o oráculo sagrado no Palácio de Obatalá. Quando lá chegou, o Sacerdote a colocou para fora, dizendo que ela deveria estar usando um Alá branco para entrar na casa do Grande Deus Funfun. Ainda mais triste, a Galinha de Angola resolveu ir para outra floresta e de uma vez por todas, deixar de conviver perto de tudo e todos. 

Após 21 dias caminhando, a Galinha de Angola parou em uma floresta, sem saber que era sagrada (Igbodu). Lá, ela encontrou um velho maltrapilho gemendo de dores. Esse velho disse: 

“Pare! estou muito doente e não tenho dinheiro para me alimentar, me dê o que comer e beber, por favor,”

A Galinha de Angola pegou tudo o que tinha e deu ao velho homem que, após saciar a sua fome e sede, caiu dormindo em sono profundo. A Galinha de Angola continuou preocupada com o velho e ficou ao seu lado enquanto ele dormia. Ao acordar, o velho perguntou-lhe, porque ainda estava lá, fazendo companhia para aquele velho maltrapilho. 

A Galinha começou a dizer que não poderia abandoná-lo, pois ele estava precisando del, dize sua história ao velho, falando que todos lhe achavam feia, com um aspecto repugnante e que não mais queria viver. 

O Velho respondeu que o seu exterior não importava em nada, pois por dentro, ele era um dos seres mais belos que existia. Disse que aquela era uma floresta sagrada e que na verdade, ele era Obatalá. A Galinha de Angola ficou surpresa com a revelação, pedindo-lhe desculpas por entrar na floresta sagrada. 

Obatalá pegou Efun e começou a pintar a Galinha de Angola, que ficou muito bonita. Além disso, Obatalá disse que, o maior símbolo para os iniciados era o Osu e modelou um na superfície da cabeça da Galinha de Angola, dizendo que, a partir daquele momento, ela seria o Animal mais Sagrado do Culto aos Òrìsàs, pois somente ela, traz o Grande Osù em sua cabeça. 

Essa história é um grande ensinamento, pois mostra que não podemos julgar ninguém por sua aparência, mostra que não devemos jamais negar comida e bebida. Nossa religião oferta, ajuda e acolhe, essa é mensagem que devemos guardar. 

Que nosso Pai Òsùmàrè Aràká continue olhando e abençoando todos. 

Terreiro de Òsùmàrè

Um comentário:

  1. Boa tarde estou amando este curso, tomando conhecimento tudo que o racismo e capaz, a maioria das pessoas sãos maus, vivo me perguntando por que se Deus quer do ser humano e que eles respeite uns aos outros, se ame, mais não acontece, muitos so visa o bem material. sobre o atendimento dos profissionais de saúde se foce preciso dar a nota de um a dez eu daria a nota 04 estou falando do local que trabalho, e alguma clinicar que vou faz consulta, não tem respeito pelo o irmão, quando e negro nem se fala já presenciei muitos causas de mal trato pelo o irmão por causa da sua cor de pele........esto e desumano..........Fique com DEUS....

    ResponderExcluir

Gostou desta postagem? Deixe aqui seu comentário, sugestão, critica a fim de melhorar nossos serviços.