Follow by Email

sexta-feira, 8 de março de 2013

COLETÂNEA O CANDOMBLÉ - DONÉ RUNHO


Maria Valentina dos Anjos Costa nasceu no ano de 1877, descendente direta de escravos oriundos do antigo Dahomey, foi a terceira sacerdotisa da comunidade de candomblé jeje do Terreiro do Bogun (Zoogodo Bogun Male Hundo). Iniciada para o Vodun Sogbo, assumiu o terreiro do Bogun em 1925 - após o falecimento de Gaiakú Romana de Kposú (Kposusi Romaninha) - onde se tornou uma das mais memoráveis sacerdotisas do Candomblé Jeje. Conhecida pelo nome de Mãe Runhó. 

Mãe Runhó comandou o Terreiro do Bogun mantendo os princípios e a tradição africana de culto aos Voduns. Faleceu em 27 de Dezembro de 1975 vítima de um enfarte. Seu enterro foi realizado conforme a tradição; o caixão saiu pela janela da casa e foi transportado pelos filhos de santo, que o carregavam nas costas; a cada encruzilhada três passos a traz e três passos a frente eram dados e seguia o cortejo com cânticos específicos. Ao chegar ao cemitério na Quinta dos Lázaros o caixão é largado ao chão e canta-se em louvor a Ayizan - que representa a memória ancestral, na seita - e logo após é enterrado diretamente na terra como manda a tradição. Antes de cobrir o caixão com terra, cada filho de santo deve jogar um punhado de terra em cima. 

Após a morte de Mãe Runhó o terreiro passou a ser comandado por Evangelista dos Anjos Costa - Mãe Nicinha ou Gamo Lokosi - filha carnal de Mãe Runhó. 

FONTE: Hùngbónò Charles | Maio 3, 2012 at 2:17 am | Categorias: Candomblé | URL: http://wp.me/pds6I-183

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Gostou desta postagem? Deixe aqui seu comentário, sugestão, critica a fim de melhorar nossos serviços.