Follow by Email

domingo, 2 de dezembro de 2012

COLETÂNEA OXÓSSI E A CAPOEIRA - GOLPES E MOVIMENTOS

Para cada um de nós que agora compomos a EQUIPE OLHOS DE OXALÁ, um BLOG desenvolvido por nosso amigo e coordenador PEDRO MANUEL, ou para muitos, PEDRO DE OGUM, que nos direciona sobre tópicos, formas de postagens e na escolha de fotos ou vídeos. É de fato uma alegria imensa conseguir chegar ao final de uma coletânea e ver de fatos os frutos. 

O fato desta EQUIPE ter surgido, foi mais uma forma também de nos conscientizar sobre nossa responsabilidade dentro de nossa religiosidade. E que logo estaremos neste MÊS falando um pouco de como surgiu esta EQUIPE e quem faz parte dela. 

Frutos estes que a cada dia avaliamos as visualizações e participações, sejam por emails, comentários de alguma postagem. Para nossa alegria esta COLETÂNEA sobre o tema "OXÓSSI E A CAPOEIRA", foi de fato, muito bem visualizada e até comentada. 

Hoje, estamos finalizando esta primeira etapa deste tema, após a reformulação do BLOG OLHOS DE OXALÁ, ter começado. MAS PARA QUEM CURTIU, fique tranquilo. Já estamos providenciando um APROFUNDAMENTO sobre este tema, onde iremos mostrar os fundamentos espírituais envolvidos nesta prática esportiva; que um dia foi tão perseguida e hoje é uma das novas etapas a ser incluída até mesmo nas OLIMPÍADAS DO BRASIL EM 2016

Não deixe de participar disso. 
ARTHUR DE OXAGUIÃN

GOLPES E MOVIMENTOS


A capoeira usa primariamente os pés como ataque. Golpes podem ser diretos, como no caso do Martelo, ou giratórios, como no caso da Meia-lua de compasso. A rasteira é de suma importância, considerada por muitos como a melhor arma disponível para o capoeirista. Desenvolvida para o combate em desvantagem, o ataque do capoeirista deve ser aplicado no momento oportuno e de forma definitiva. 

A defesa usa o princípio da não-resistência, isto é, evitar um golpe com uma esquiva em vez de apará-lo. Esquivas podem ser executadas tanto em pé quanto com os apoios das mãos no chão. No caso de impossibilidade da esquiva o Capoeirista se defende aparando ou desviando o golpe com as mãos ou as pernas. 

A ginga é importantíssima para a defesa e para o ataque do capoeirista, tornando o capoeirista imprevisível durante o ataque e dificultando um possível contra-ataque, além de evitar que o capoeirista se torne um alvo fixo. 

Completam a técnica as cabeçadas, floreios (acrobacias no solo), tesouras, cotoveladas e outras.


GRADUAÇÃO


Devido à sua vastidão e à sua origem, a capoeira nunca teve unidade ou consenso. O sistema de graduação segue o mesmo caminho, nunca tendo existido um sistema padrão que fosse aceito pela maioria dos grandes mestres. Dessa forma o sistema de graduação varia muito de grupo para grupo. A própria origem do sistema é recente, tendo partido com a Luta Regional Baiana de Mestre Bimba, na década de 1930. Bimba utilizava lenços de seda para diferenciar seus alunos entre aluno formado, aluno especializado e mestre. Alunos novos não possuiam graduação. 

Atualmente o sistema de graduação mais comum é o de cordas (também chamadas cordéis ou cordões) de diferentes colorações amarrados na cintura do jogador. Alguns grupos usam diferentes sistemas, ou até mesmo nenhum sistema. 

Existem várias entidades (Ligas, Federações e Confederações) que tentam organizar e unificar a graduação na capoeira. O sistema mais comum é o da Confederação Brasileira de Capoeira, que adota o sistema de graduação feito por cordas seguindo as cores da bandeira brasileira, de fora para dentro (iniciado na época em que a capoeira oficialmente era considerada parte da Federação Brasileira de Pugilismo). 

Apesar de muito difundido com diversas variações, muitos grupos grandes e influentes utilizam cores diferentes ou mesmo graduações diferentes. A própria Confederação Brasileira de Capoeira não é amplamente aceita como representante principal da capoeira.

Sistema de graduação da Confederação Brasileira de Capoeira

Graduação básica adulta (a partir de 15 anos) 

Iniciante: sem corda ou cordão 

Batizado: verde 

Graduado: amarelo 

Graduado: azul 

Intermediário: verde e amarelo 

Avançado: verde e azul 

Estagiário: amarelo e azul 

Graduação avançada - Docente de capoeira 

Formando: verde, amarelo e azul - 5 anos de capoeira - idade mínima 18 anos 

Monitor: verde e branco - 7 anos de capoeira - idade mínima 20 anos 

Professor: amarelo e branco - 12 anos de capoeira - idade mínima 25 anos 

Contramestre: azul e branco - 17 anos de capoeira - idade mínima 30 anos 

Mestre: branco - 22 anos de capoeira - idade mínima 35 anos 

Graduação infantil (até 14 anos) 

Idêntica à graduação básica, porém com a cor mais clara. Após a sétima graduação, o aluno infantil passa para a segunda graduação adulta, corda verde. Em alguns casos (dependendo de seu desempenho) pode pegar a terceira graduação, corda amarela. 

O tempo de cada graduação varia dependendo da sua importância. As cordas iniciais, como a verde e a amarela, podem ser conquistadas em menos de um ano. Cordas avançadas, notadamente as de contra-mestre e mestre, levam diversos anos e exigem um profundo conhecimento da capoeira para serem conquistadas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Gostou desta postagem? Deixe aqui seu comentário, sugestão, critica a fim de melhorar nossos serviços.